UE eleva orçamento agrícola para € 386,9 bi entre 2014 e 2020

Adicional de 10,5 bilhões de euros irá ajudar os produtores a lidar com os preços voláteis dos alimentos

Gabriela Mello, da Agência Estado,

30 de junho de 2011 | 09h00

O esquema de suporte agrícola da União Europeia (UE) crescerá para 386,9 bilhões de euros entre 2014 e 2020, com um adicional de 10,5 bilhões de euros para ajudar os produtores a lidar com os preços voláteis dos alimentos, informou a Comissão Europeia na noite de ontem.

A medida foi anunciada, depois que o braço executivo do bloco se arriscou a uma grande batalha com seus principais contribuintes ao divulgar uma proposta para um aumento mínimo de 5% em termos reais no orçamento da UE durante o período.

Os pagamentos para Política Agrícola Comum da União Europeia subirão 15,2 bilhões de euros em relação aos níveis de 2013, para 368,9 bilhões de euros, embora Reino Unidos e outros membros do bloco econômico tenham pedido uma redução do esquema, que responde por cerca de 40% do orçamento da UE.

Os pagamentos diretos aos agricultores serão limitados a 281 bilhões de euros, com 89,9 bilhões de euros destinados a projetos de desenvolvimento rural. Bulgária, Lituânia, Letônia e Estônia são os que mais se beneficiarão da elevação geral do orçamento, mas Alemanha, Reino Unido e França receberão a maior parte da receita.

Segundo as propostas da Comissão, 4,5 bilhões de euros serão desembolsados para pesquisa agrícola, 2,5 bilhões de euros para ajudar os produtores a enfrentar a volatilidade dos preços e 3,5 bilhões de euros serão aplicados em uma nova reserva assistencial de emergência.

"Esse é um bom resultado para o futuro da Política Agrícola Comum no atual clima econômico", disse o comissário de Agricultura da UE, Dacian Ciolos. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
União EuropeiaComissão Europeia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.