UE libera exportação de carne de São Paulo e do Paraná

A União Européia vai permitir aimportação de carne bovina desossado e maturada do Paraná e deSão Paulo depois que técnicos do bloco concluíram que foramcumpridas as exigências sanitárias européias. Regiões adicionais de Argentina e Paraguai também foramliberadas para exportar. "Recentemente, as autoridades responsáveis de Argentina,Brasil e Paraguai realizaram esforços consideráveis paramelhorar a situação sanitária animal em seus respectivospaíses, em particular no que diz respeito à febre aftosa",disse a Comissão Européia em um comunicado na segunda-feira. A Comissão afirmou que a decisão de segunda-feira derelaxar o veto a exportadores em São Paulo e Paraná, após doisanos de embargo, significa que os dois Estados agora terão quecumprir com as exigências especiais para os exportadoresbrasileiros de carne bovina, ligadas à questão darastreabilidade. As exportações do Brasil para a Europa haviam sidototalmente suspensas no início do ano, depois que osbrasileiros falharam em apresentar um sistema derastreabilidade do rebanho bovino de acordo com as exigênciasdos europeus. Depois de negociações, as autoridades da UE autorizaramexportações de 106 estabelecimentos rurais do Brasil, a maiorparte em Minas Gerais. No final de maio, a Organização Internacional de SaúdeAnimal (OIE) concedeu o status de livre de aftosa com vacinaçãopara dez Estados brasileiros e mais o Distrito Federal. Essa condição havia sido cassada após a ocorrência da febreaftosa em Mato Grosso do Sul e Paraná no final de 2005. Os dez Estados são Bahia, Espírito Santo, Goiás, MatoGrosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo,Sergipe e Tocantins. O Brasil, maior exportador mundial de carne bovina, mantevea liderança apesar de embargos determinados por dezenas depaíses, redirecionando suas exportações a partir de Estados quenão tiveram seu status afetado. A UE costumava comprar os melhores e mais caros cortes,sendo o segundo destino em volumes da carne brasileira. Deacordo com a Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária,no ano passado o bloco importou 195 mil toneladas de carnebovina in natura, totalizando 1,08 bilhão de dólares. Essaquantidade representa cerca de um terço da receita total deexportações brasileiras. Segundo a Abiec, as exportações totais do Brasil para aEuropa, incluindo carne industrializada, atingiram 543,5 miltoneladas, com as receitas somando 1,4 bilhão de dólares, de umtotal de 4,4 bilhões. Na Argentina, exportadores de partes das províncias deNeuquen e Rio Negro poderão embarcar diferentes tipos de carnepara o bloco. Já os produtores paraguaios foram liberados paraexportar também carne desossada e maturada, de acordo com ocomunicado. (Colaboraram Roberto Samora e Camila Moreira, em SãoPaulo)

WILLIAM SCHOMBERG, REUTERS

30 de junho de 2008 | 13h16

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCARNEUE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.