União da Ricardo Eletro e Insinuante ainda não chegou ao Cade

Empresas têm prazo de 15 dias para oficializar a notificação da fusão ao conselho

Célia Froufe, da Agência Estado,

30 de março de 2010 | 13h51

O Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) ainda não recebeu oficialmente a notificação sobre a união das redes varejistas Ricardo Eletro e Insinuante. As empresas têm o prazo de 15 dias, após o anúncio da união para fazer a notificação ao conselho, à Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) e à Secretaria de Defesa Econômica (SDE), do Ministério da Justiça.

 

A criação da holding, que receberá o nome de Máquina de Vendas, foi anunciada à imprensa na segunda-feira, 29, e, com ela, nasce a segunda maior rede varejista de móveis e eletrodomésticos do País, com faturamento de R$ 5 bilhões e 528 lojas. A meta é dobrar o tamanho da nova rede tanto em vendas quanto em número de lojas em quatro anos. Há também a intenção de abrir as portas em São Paulo a partir do próximo ano.

 

Por enquanto, não há perspectiva de abertura de capital, conforme explicou na segunda o representante da baiana Insinuante, Luiz Carlos Batista. Ele será o presidente do Conselho Executivo da nova holding. Pelo acordo, as duas empresas terão participações igualitárias na nova empresa.

Tudo o que sabemos sobre:
InsinuanteRicardo EletroCadeSeaeSDE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.