Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

União entre Grupo Estado e o Portal MSN balança os conceitos do mercado

O jornalismo do Grupo Estado passou a integrar o ecossistema de serviços tecnológicos do MSN

Economia & Negócios ,

24 de agosto de 2010 | 16h50

Nesta terça-feira, 24 de agosto, entrou no ar o canal MSN Estadão, que insere no portal da Microsoft um conteúdo selecionado dos diários "O Estado de S. Paulo" e "Jornal da Tarde", da Agência Estado e do site Estadao.com.br. O novo site pode ser acessado pelo endereço estadao.br.msn.com e tem oito subcanais.

"A gente pega conteúdo nosso, feito por profissionais especializados, e entrega para a tecnologia deles, que inclui o MSN, o Windows Live, serviços, redes sociais, interação. Haverá uma conexão do jornalismo com o internauta que, para mim, é uma combinação vencedora", afirmou Silvio Genesini, diretor-presidente do Grupo Estado, durante o evento que oficializou o lançamento da parceria, realizado na capital paulista.

A parceria representa um avanço porque, enquanto testemunhamos disputas entre sites agregadores de notícias e empresas produtoras de conteúdo, o Grupo Estado e o MSN estão fazendo uma "agregação conciliada", disse Genesini.

Osvaldo Barbosa de Oliveira, diretor de Consumo e Online da Microsoft Brasil, vê uma "complementaridade" entre jornalismo e tecnologia. "A gente precisa do melhor conteúdo para oferecer à nossa audiência. Para mim, esta é uma parceria natural. O jornalismo de qualidade continua 100% vivo. É um modelo que vai continuar existindo", afirma Oliveira.

O canal MSN Estadão traz uma novidade também no campo da publicidade. Os anunciantes poderão escolher entre diversos formatos, desde anúncios com amplo impacto, até os mais segmentados, incluindo o chamado "behavior target", em que é possível se comunicar com um usuário que se interessa por um tipo específico de produto.

'Vai balançar o mercado'

"O Grupo Estado põe a qualidade do seu conteúdo ao alcance de ainda mais internautas", afirmou Ricardo Gandour, diretor de Conteúdo do Grupo Estado.

O Messenger, serviço de mensagens instantâneas da Microsoft, tem hoje 50 milhões de usuários no Brasil. O MSN tem a home page (página inicial) mais acessada do País, alcançando 38% dos internautas. Somando os serviços Windows Live (que inclui a conta de e-mails Hotmail e o Messenger) e o MSN, a Microsoft atinge 86% dos usuários de internet no Brasil.

"São duas empresas de grande reputação, cada uma na sua área. Essa parceria vai balançar o mercado", sintetiza Andrea Fornes, diretora de Conteúdo do MSN.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.