Unidade da GM vai diminuir produção em duas fábricas na Alemanha

A Opel, unidade alemã da General Motors, chegou a acordo com representantes sindicais para diminuir a jornada de milhares de trabalhadores de duas fábricas na Alemanha diante da menor demanda por carros na Europa.

Reuters

23 de agosto de 2012 | 10h39

A montadora cortará o equivalente a 20 dias de produção na fábrica em Ruesselsheim --a principal das quatro que tem na Alemanha-- e na unidade de peças em Kaiserslautern, confirmando o que a imprensa alemã tinha adiantado. Os cortes serão neste ano, a partir de setembro.

A GM teve prejuízo de 747 milhões de dólares nas operações europeias no ano passado por causa das fracas vendas de carros na região e precisou lidar com altos custos fixos e excesso de capacidade de produção.

"O mercado automotivo europeu está decaindo drasticamente", disse o diretor de RH da Opel, Holger Kimmes, ressaltando que a jornada flexível não será suficiente para compensar o excesso de capacidade.

O acordo vai afetar metade dos 13,8 mil empregados da Opel em Ruesselsheim. A montadora está cortando a jornada de pessoas que trabalham em linhas de montagem e na administração. A unidade de Kaiserslautern tem 2,5 mil trabalhadores.

(Por Maria Sheahan e Peter Dinkloh)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSOPELLEGALPRODUCAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.