Divulgação/Unimed
Divulgação/Unimed

Seguros Unimed cria fundo imobiliário para construir hospitais em SP, Brasília e Salvador

Seguradora da cooperativa médica planeja arrecadar R$ 1 bilhão em fundo nacional; R$ 100 milhões já foram captados para hospital em Campina Grande (PB)

André Jankavski, O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2022 | 11h19

A Seguros Unimed, grupo segurador e braço financeiro do sistema de cooperativas médicas da Unimed, quer acelerar a construção de novos hospitais para os próximos anos, evitando perder espaço para concorrentes como a Rede D’Or e a Hapvida. Para isso, a empresa aposta na criação de um fundo imobiliário centralizado para captar dinheiro e distribuir para suas cooperativas. A ideia é operar diretamente em cidades importantes que a companhia não possui operação relevante, como São Paulo, Brasília e Salvador. A ideia é levantar mais de R$ 1 bilhão.

É um movimento que a companhia já vem fazendo por meio da InvestCoop Asset Management, gestora de recursos financeiros do Sistema Unimed, criada em 2020. Por meio dele, a companhia captou R$ 101,7 milhões para construir o hospital Unimed Campina Grande (PB), que será o 150.º administrado pelo Sistema Unimed. 

Padronização

De acordo com Helton Freitas, presidente da Seguros Unimed, um fundo nacional vai ajudar a criar uma uniformidade entre as cooperativas da Unimed espalhadas pelo Brasil, que possuem gestões independentes. Em 2015, por exemplo, houve a insolvência da Unimed Paulistana, mas o fato não impactou a operação das outras cooperativas e os beneficiários afetados foram incorporados pelo Sistema Unimed.

“Somos uma cooperativa para o bem e para o mal. Temos um caráter democrático e trabalhamos com responsabilidade social e tem uma série de pontos positivos. Por outro lado, existem momentos em que os processos são muito lentos e esse fundo nacional ajudaria nessa expansão”, diz Freitas.

Para acelerar a expansão dos hospitais próprios, a ideia da Seguros Unimed é que para utilizar recursos do fundo para uma construção, a cooperativa interessada entre com metade do dinheiro. “O R$ 1 bilhão é a parte do fundo para toda a Unimed. Será necessária uma contrapartida, e o total de investimento vai para R$ 2 bilhões”, diz Freitas.

Crescimento

O setor de saúde tem sido palco de diversas aquisições nos últimos anos, lideradas principalmente pela Rede D’Or e pela Hapvida, que se fundiu à NotreDame Intermédica neste ano. Por isso, Freitas afirma que para se manter competitiva, a Unimed é precisa colocar o pé no acelerador.

“Estamos em um verdadeiro jogo de estratégia. Precisamos nos fortalecer onde temos força e atuar mais onde não temos relevância, como em São Paulo, Brasília, Salvador e São Luís”, diz o executivo. Aquisições, porém, não estão no radar e Freitas afirma que o foco está na construção de novos espaços.

No ano passado, o faturamento da Seguros Unimed fechou em alta de 6,8%, a R$ 4,3 bilhões, com um lucro líquido de R$ 93,8 milhões. O Sistema Unimed tem 18 milhões de beneficiários, com 37% de participação no setor de planos de saúde.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.