Unipar, Braskem e Petrobrás fecham acordo sobre Quattor

Unipar vende sua parte na Quattor para a Braskem e destrava negócio de R$ 870 milhões

César Bianconi, da Reuters ,

22 Janeiro 2010 | 12h21

A União de Indústrias Petroquímicas (Unipar) anunciou nesta sexta-feira, 22, que fechou acordo para vender sua participação de 60% na Quattor para a Braskem. A operação de R$ 870 milhões coroa meses de negociações e disputas judiciais para a formação da maior petroquímica da América Latina e a oitava maior petroquímica do mundo. A companhia será controladora de um virtual monopólio sobre resinas plásticas produzidas no País, com capacidade para produção anual de 5,51 milhões de toneladas.

 

 

O acordo foi fechado pela Unipar juntamente com o grupo Odebrecht e Petrobrás. O negócio envolve ainda a venda das participações da empresa na Unipar Comercial e Distribuidora e na Polibutenos Indústrias Químicas. Do total da operação, R$ 647,3 milhões correspondem a valor que será pago pela participação acionária da Unipar na Quattor.

 

A aquisição deverá ser paga com R$ 100 milhões desembolsados entre 18 de fevereiro e 4 de março e com os R$ 547,3 milhões restantes em até cinco dias úteis após a obtenção pela Braskem de autorizações de credores da Quattor. Com a operação, a Braskem também vai levar a dívida da Quattor, Unipar Comercial e Polibutenos, que até novembro do ano passado somava R$ 6,685 bilhões, afirma a Unipar em comunicado.

 

Reforço no caixa

 

Como parte do processo de incorporação da Quattor, a Braskem fará um aumento de capital de R$ 4,5 bilhões a R$ 5 bilhões para reforçar sua estrutura de capital e manter a flexibilidade financeira da petroquímica.

 

Do aumento de capital planejado, a Odebrecht se comprometeu a entrar com R$ 1 bilhão, enquanto a Petrobras com outros R$ 2,5 bilhões, segundo fato relevante desta sexta-feira.

 

O preço de emissão das novas ações foi determinado em R$ 14,40. Oitenta por cento das ações no âmbito do aumento de capital serão ordinárias e as demais preferenciais. Os minoritários terão assegurado o direito de preferência de subscrição.

 

"A aquisição da Quattor torna a Braskem a maior produtora de resinas das Américas", afirmou a analistas e investidores o presidente da Braskem, Bernardo Gardin. A capacidade combinada será de 5,5 milhões de toneladas de resinas por ano.

 

Composição do comando

 

Pelo acordo de acionistas que será celebrado entre Odebrecht e Petrobrás ambas compartilharão as decisões estratégicas na Braskem resultante da compra da Quattor. A Odebrecht terá 50,1% do capital votante da Braskem.

 

O Conselho de Administração da Braskem terá 11 integrantes. O chairman será indicado pela Odebrecht e o vice-presidente do Conselho será escolhido pela Petrobrás.

 

Na diretoria-executiva, a Odebrecht será responsável pela nomeação do diretor-presidente e do vice-presidente financeiro, cabendo à sócia estatal a escolha do diretor de Investimentos e Portfólio. Os demais diretores serão escolhidos pelo diretor-presidente e submetidos à aprovação do Conselho. Em até 15 dias, as companhias encaminharão as operações ao Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência. 

Mais conteúdo sobre:
petroquímica Unipar Quattor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.