Usiminas fornecerá 13 mil t de chapas de aço para Transpetro

Siderúrgica também anuncia que vai vender sua participação de 14,25% na Ternium, em meio a um processo de reorganização das atividades

Reuters

31 de janeiro de 2011 | 14h26

A Usiminas venceu licitação da Transpetro entre 12 siderúrgicas para fornecer 13 mil toneladas de chapas de aço para construção de navios, elevando assim a sua participação no programa de modernização da frota da empresa de transportes da Petrobrás.

No ano passado, devido aos altos preços no mercado interno, a estatal contratou aço da Ucrânia, China e Coreia do Sul, mas este ano espera comprar mais aço brasileiro. Além da Usiminas, apenas a Cosipa fornece chapa de aço para navios no Brasil.

"Nosso desejo é que todo o aço necessário à construção dos navios do Promef seja comprado no Brasil. E assim faremos, sempre que o preço for competitivo, ou seja, compatível com o praticado no mercado mundial", afirmou o presidente da Transpetro, Sergio Machado, em um comunicado nesta segunda-feira.

O aço da Usiminas será utilizado pelo Estaleiro Ilha (Eisa), no Rio de Janeiro, que ganhou a encomenda de quatro navios petroleiros Panamax para o transporte de óleo cru e produtos escuros da Transpetro. Os dois primeiros serão lançados ao mar em 2012 e os demais estão previstos para 2013.

A encomenda eleva para 66 mil toneladas o volume de aço que será fornecido pela Usiminas ao Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef), ou cerca de 40% do total já adquirido.

Até agora o Promef já licitou 168 mil toneladas de chapas de aço de uma estimativa total de 680 mil toneladas para construção de 49 navios. A expectativa da empresa no ano passado era licitar uma média de 150 mil a 180 mil toneladas por ano até 2014. O aço corresponde entre 20% a 30% do custo de um navio.

Usiminas vende participação na Ternium

A Usiminas também anunciou nesta segunda-feira que vai vender sua participação de 14,25% na Ternium, em meio a um processo de reorganização das atividades do grupo brasileiro.

A Usiminas venderá as ações por meio de uma oferta pública em que participarão a Ternium e sua controladora, Techint, segundo comunicado, ao se comprometerem em comprar um total de US$ 250 milhões em ações da Ternium. Calendário da transação ou preço dos papéis não foram informados.

A operação acontece no momento em que a Usiminas, a siderúrgica brasileira mais duramente atingida pela crise financeira internacional de 2008-2009, busca reestruturar-se para reduzir custos e ampliar margens de lucro.

No ano passado, a Usiminas nomeou Wilson Brumer como presidente executivo, realizou uma revisão de seus ativos em mineração e acertou alianças com mineradoras para adicionar valor a seus ativos.

As ações da Usiminas subiam 4,28% nesta tarde, cotadas a R$ 19,50, enquanto o Ibovespa mostrava alta de 0,25%. Nos últimos 12 meses, as ações da Usiminas acumulam queda de 3,48%, ante valorização de 5,5% da rival Companhia Siderúrgica Nacional.

(Por Denise Luna e Guillermo Parra-Bernal)

Tudo o que sabemos sobre:
Usiminassiderurgiaaço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.