Usiminas investiu R$ 174,7 milhões no 1º trimestre

Os investimentos da Usiminas entre janeiro e março deste ano somaram R$ 174,7 milhões, número que representa queda de 52% sobre o quarto trimestre de 2012. A redução, informou a empresa, se deveu ao encerramento do forte ciclo de investimentos em modernização e expansão da capacidade de laminação e galvanização na unidade de siderurgia.

BETH MOREIRA, Agencia Estado

26 de abril de 2013 | 09h01

Do total dos investimentos feitos no primeiro trimestre, 26% foram aplicados na unidade de siderurgia, 64%, na de mineração, 5% na de transformação do aço e 5%, na de bens de capital. Os investimentos na divisão de siderurgia somaram R$ 45,5 milhões, principalmente com as obras da Decapagem 3 em Cubatão para atender a demanda de mercado para produtos acabados e com a reforma da Coqueria 2 em Ipatinga para aumentar a geração própria de gás e coque, com previsão de entrada em operação no terceiro trimestre de 2013 e quarto trimestre de 2014, respectivamente.

Os investimentos em mineração atingiram R$ 111,8 milhões, 31,6% abaixo do total investido no quarto trimestre. Os desembolsos foram destinados principalmente ao Projeto Friáveis, que alcançou 88,5% da sua execução no final de março e cujo prazo de conclusão está previsto para o terceiro trimestre de 2013.

Dívida líquida

A Usiminas encerrou o primeiro trimestre de 2013 com uma dívida líquida consolidada de R$ 3,6 bilhões, ante R$ 3,4 bilhões registrados ao final de dezembro de 2012. O endividamento total somou R$ 7,9 bilhões em 31 de março ante R$ 8,1 bilhões registrados em 31 de dezembro de 2012.

Em 31 de março, a composição da dívida por prazo de vencimento era de 10,0% no curto prazo e 90,0% no longo prazo. A composição por moeda representava 62,8% em moeda nacional e 37,2% em moeda estrangeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.