Usiminas lucra mais no 4º tri e vê aço estável no país

Empresa espera reajuste de minério de ferro acima da variação de 20% a 25% com a qual trabalhava no final de 2009

Reuters,

25 de fevereiro de 2010 | 14h46

A Usiminas, maior produtora de aços planos do Brasil, teve lucro no quarto trimestre melhor que o esperado e informou que vê estabilidade de preços de produtos siderúrgicos no mercado interno em 2010. A companhia reduziu no final do ano descontos que vinham sendo concedidos nos preços de aço praticados no mercado brasileiro.

 

"Não existe nenhum cenário de desconto (este ano). O cenário é de manter os preços no mercado interno", afirmou o vice-presidente de Negócios da siderúrgica, Sérgio Leite de Andrade, em teleconferência com analistas. No mercado externo, a avaliação é de alta nos preços.

 

A Usiminas iniciou no final do ano passado processo de redução dos descontos, que foi obrigada a conceder no primeiro semestre de 2009 em meio à crise global, o que ajudou no resultado de outubro a dezembro. A Usiminas está operando a 88% de sua capacidade nominal de produção de 9,5 milhões de toneladas de aço por ano. "Estamos começando a atingir velocidade de cruzeiro", afirmou o presidente da Usiminas, Marco Antonio Castello Branco.

 

O carvão contratado no auge do pico das commodities, pouco antes do tombo nos preços de matérias-primas gerado pela crise internacional, foi totalmente consumido em 2009. O insumo vinha sendo preocupação de analistas, uma vez que pressionava as margens de lucro da Usiminas.

 

Minério de ferro

 

Sobre preços de minério de ferro, a expectativa da empresa é de que ocorra um reajuste este ano acima da variação de 20% a 25% com a qual trabalhava no final de 2009. Segundo a Usiminas, o mercado de minério de ferro está em ritmo de demanda "extremamente forte".

 

A Usiminas pretende organizar suas operações de produção de minério de ferro em uma unidade separada e controlada pela siderúrgica. A unidade poderá receber participação de sócios minoritários e mais à frente ser listada em bolsa de valores. A empresa comprou em 2008 a mineradora J. Mendes por R$ 1,6 bilhão e deve concluir em 18 de março avaliação final de suas reservas de minério de ferro.

 

"Mas posso dizer que as reservas estão em linha com o plano de negócios que torna rentável e viável a expansão do projeto mineral", disse o presidente da Usiminas.

 

Balanço

 

O lucro da Usiminas no quarto trimestre foi de 633 milhões de reais e foi quase o dobro da média esperada por sete analistas consultados pela Reuters, mas ainda abaixo dos 936 milhões de reais dos três últimos meses de 2008. A receita líquida trimestral foi de quase 3 bilhões de reais, queda de 20% contra um ano antes.

 

As ações preferenciais da Usiminas subiam 1,82% às 13h53, enquanto o Ibovespa caía 1,46%. As ações da rival Gerdau, que também anunciou lucro acima do esperado nesta quinta-feira, avançavam 1,43%.

 

A Usiminas teve Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação) de R$ 663 milhões nos três últimos meses de 2009, com margem de 22,2%. Isso se compara a R$ 1,421 bilhão do último trimestre de 2008, com margem de 38,1%.

 

A margem Ebitda em 2009 foi de 13,6%, contra 38,3% em 2008. A Usiminas espera "melhorar um pouco" as margens em 2010, disse o vice-presidente de Finanças, Ronald Seckelmann. "Estamos um pouco longe de retomar níveis históricos de 35% que ocorreram em um cenário de câmbio diferente, de atividade da economia global diferente", alertou Seckelmann.

 

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
Usiminas, lucro, ferro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.