Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Usiminas quase zera lucro no 1o trimestre

A Usiminas viu seu lucro líquido de primeiro trimestre ser achatado para 16 milhões de reais, para um nível abaixo do esperado pela média do mercado, em meio à continuação da pressão de custos maiores de matérias-primas.

REUTERS

28 de abril de 2011 | 10h02

A companhia, maior produtora de aços planos do Brasil, havia registrado um ano antes lucro líquido de 375 milhões de reais. Enquanto isso, a média de seis estimativas de analistas obtida pela Reuters apontava para um ganho de janeiro a março de 169 milhões de reais, com as previsões variando de 81 milhões a 243 milhões de reais.

O resultado, o mais fraco desde o prejuízo líquido de 116 milhões de reais sofrido no primeiro trimestre de 2009, também sofreu impacto negativo de 125 milhões de reais por reconhecimento de perdas cambiais geradas pela venda da totalidade da participação da companhia na Ternium, em fevereiro.

Operacionalmente, porém, o resultado veio relativamente dentro do esperado, com uma geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 337 milhões de reais, ante 711 milhões anteriores e margem de 11 por cento após 23,4 por cento um ano antes.

Na divisão das operações da companhia, a margem Ebitda das atividades de produção de aço despencou de 20 por cento no primeiro trimestre de 2010 para 4 por cento no trimestre passado. Em relação ao final de 2010, as margem do segmento se manteve estável.

Já em mineração, a margem na comparação anual cresceu de 51 para 65 por cento, mas recuou um ponto percentual sobre os 66 por cento do quarto trimestre, em meio às fortes chuvas que atingiram o país no início do ano.

"Os resultados do trimestre foram afetados pela continuidade da pressão dos custos das principais matérias primas e pelo câmbio desfavorável que incentiva a competição dos produtos importados", afirma a Usiminas no balanço.

A empresa produziu 1,783 milhão de toneladas de aço bruto de janeiro a março, uma queda de 2 por cento sobre um ano antes. Enquanto isso, as vendas somaram 1,588 milhão de toneladas, recuo também de 2 por cento.

A receita líquida se manteve praticamente estável na comparação com o primeiro e quarto trimestres do ano passado, para 3,063 bilhões de reais. A empresa concedeu descontos de preços no mercado brasileiro nos últimos três meses de 2010 para competir com produtos importados, o que acabou impactando o desempenho do trimestre passado.

"No primeiro trimestre, o volume de vendas destinado ao mercado interno alcançou 77 por cento, uma evolução de 9 pontos percentuais em relação ao quarto trimestre, entretanto o efeito positivo de maiores vendas no mercado interno foi parcialmente compensado pelos menores preços médios de aço e reajustes de preços das principais matérias-primas", afirma a Usiminas.

O custo de produtos vendidos no primeiro trimestre somou 2,8 bilhões de reais, caindo 4 por cento sobre o final de 2010, mas subindo cerca de 17 por cento sobre os 2,4 bilhões de reais divulgados um ano antes. No quarto trimestre, um problema em um porto de importação de carvão obrigou a companhia a colocar em ação esquemas alternativos de entrega do insumo, o que pressionou a lucratividade da operação siderúrgica.

A companhia, alvo de rumores de mercado sobre eventual interesse da Gerdau, em meio ao aumento da participação da Companhia Siderúrgica Nacional em seu capital, finalizou março com um caixa de 5,89 bilhões de reais, mais que o dobro em relação aos 2,57 bilhões de um ano antes.

Os investimentos no trimestre, enquanto isso, subiram 35 por cento, a 1,025 bilhão de reais.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAUSIMINASRESULTS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.