VALE acerta reajuste de 65% no preço do minério

Siderúrgicas do Japão e da Coréia do Sulaceitaram alta de 65 por cento nos preços do minério de ferrovendido pela Vale, nos primeiros contratos firmados para esteano. Apesar disso, mineradoras australianas informaram queainda querem reajuste maior. Nippon Steel e JFE, do Japão, e a Posco, da Coréia do Sulconcordaram em pagar à Vale 78,90 dólares por tonelada deminério de ferro de Itabira no ano que começa em 1o de abril,reajuste de 65 por cento e sexta alta consecutiva nos preços dacommodity. As ações da Nippon Steel e da chinesa Baosteel dispararamcom alívio dos investidores de que o aumento não foi maior. Ospreços do minério de ferro, matéria-prima do aço, aumentaramcinco vezes desde 2001. O mercado já esperava que os preços aumentariam pelo menos50 por cento, depois que os preços no mercado à vista chegarama recordes em 2007 e a demanda de siderúrgicas chinesas nãomostrar sinais de queda. "O mercado ficou aliviado agora que um dos fatoresnegativos pesando sobre as ações foi revelado", disse TakashiAoki, vice-presidente da divisão de investimento em ações daMizhuo Asset Management. Mas as ações das mineradoras australianas, como BHPBilliton e Rio Tinto, recuaram com algumas fontes da indústriaafirmando que elas vão tentar preços maiores que refletiriammelhor o menor custo de envio de minério de ferro a partir daAustrália. Normalmente no setor, as primeiras companhias a fecharacordos de preços definem as bases das negociações para aindústria. A Rio Tinto informou que ainda não fechou qualquer acordode preço de minério de ferro, enquanto um porta-voz da BHP nãocomentou o assunto. (Reportagem Yuko Inoue)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.