Vale adquire 51% de projeto de carvão Belvedere na Austrália

A Companhia Vale do Rio Doceinformou na noite de quinta-feira que exerceu a opção de comprapara adquirir participação de 51 por cento na joint venture decarvão Belvedere, na Austrália, por 90 milhões de dólares. A Vale pagará 45 milhões de dólares para subsidiárias daAquila Resources Ltd. (Aquila) e 45 milhões de dólares para aAMCI International AG (AMCI), após o cumprimento dedeterminadas condições. O Belvedere é um projeto de carvão em mina subterrânea, naregião de Bowen Basin, ao Sul do Estado de Queensland, naAustrália. Após essa aquisição, a Vale possui operações de carvãonesse país com capacidade de produzir 8 milhões de toneladaspor ano, que poderão ser expandidas no futuro com odesenvolvimento de Belvedere. "A Companhia realizou estudo de pré-viabilidade paraavaliar a estrutura geológica, reservas de carvão, qualidade doproduto e condições de mineração subterrânea, assim como opotencial de mineração, processamento e necessidades delogística para o estabelecimento de uma operação para produzircarvão metalúrgico", informou a Vale em nota. De acordo com a companhia, a etapa seguinte será realizarestudo de viabilidade para o desenvolvimento de Belvedere. O exercício da opção de ações faz parte do acordo efetivadocom Aquila e AMCI. A Vale tem a opção de elevar sua participação no projetopara até 100 por cento, adquirindo os 49 por centoremanescentes a um valor a ser determinado na data de exercícioda opção. "Investimentos no negócio de carvão são parte importante danossa estratégia e esta aquisição representa mais um passo paraa construção de uma significativa plataforma de crescimento",afirmou a companhia em nota. A Vale possui também participações minoritárias em empresaschinesas produtoras de carvão e está prestes a iniciar odesenvolvimento de Moatize, um projeto de carvão de grandeporte em Moçambique, na África. (Por Denise Luna)

REUTERS

20 de julho de 2007 | 10h25

Tudo o que sabemos sobre:
NEGOCIOSSIDERURGIAVALE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.