Vale conclui venda de ativos de alumínio para norueguesa

A mineradora Vale anunciou hoje a conclusão da venda de ativos de alumínio para a norueguesa Norsk Hydro. A negociação envolve as participações detidas anteriormente na Albras (51% do capital total), na Alunorte (57%) e na Companhia de Alumina do Pará (CAP, 61%), em conjunto com uma dívida líquida de US$ 655 milhões, além de subscrição de 22% das ações ordinárias em circulação da Hydro, mais US$ 503 milhões em dinheiro.

AE, Agencia Estado

28 de fevereiro de 2011 | 09h10

As empresas criaram uma joint venture (associação), a Mineração Paragominas, na qual a Vale permanecerá com 40% do capital até que seja integralmente vendido em 2015, como explica fato relevante divulgado pela companhia. A mina de bauxita de Paragominas foi transferida, assim como todos os seus demais direitos minerários de bauxita no Brasil. A venda de 60% da Paragominas para a Hydro foi feita por US$ 578 milhões em dinheiro, depois de ajustes de capital de giro. A parcela remanescente de 40% será vendida em duas parcelas iguais de 20% em 2013 e 2015, por US$ 200 milhões em dinheiro cada.

Pela fatia de 22% na Hydro, a Vale subscreveu 447.834.465 ações, no valor de cerca de US$ 3,5 bilhões, conforme preço de fechamento e taxa de câmbio vigente em 25 de fevereiro. Assim, a Hydro pagará em torno de US$ 4,98 bilhões à Vale, sem contar a assunção de dívida. Quando anunciou a operação, em maio do ano passado, a Hydro calculava que o valor total do acordo, somando a troca de ações, seria de US$ 4,9 bilhões. A empresa norueguesa já detinha 34% de participação na Alunorte e 20% na CAP.

De acordo com os termos da transação, a Vale não poderá aumentar sua participação na Hydro nem vender suas ações durante o período de dois anos. A brasileira terá direito a um representante no conselho de administração da Hydro e o nome escolhido foi de Tito Botelho Martins, diretor executivo de Operações de Metais Básicos.

"A combinação dos ativos da Vale e da Hydro criará uma das maiores e mais competitivas companhias produtoras integradas de alumínio, com potencial de crescimento e acesso a grandes reservas de bauxita, acesso a energia com custos competitivos e know-how tecnológico", diz o comunicado divulgado pela mineradora brasileira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.