Vale fará 1ª exportação de Moçambique em outubro

A Vale deve fazer a primeira exportação de carvão da mina de Moatize, em Moçambique, em outubro, afirmou o gerente de vendas e marketing da mineradora Marcelo Mattos. Segundo ele, a empresa realizará testes com clientes selecionados este ano e pretende começar a operar comercialmente a partir de 2012, sem especificar data.

GLAUBER GONÇALVES, Agencia Estado

29 de junho de 2011 | 12h26

Segundo ele, o projeto será implementado em duas fases. Na primeira, a capacidade de produção de carvão deve ser de 11 milhões de toneladas ao ano, sendo 8,5 milhões do tipo metalúrgico e 2,5 milhões do tipo térmico.

Na primeira fase, o escoamento da produção será feito pelo corredor Beira, cuja capacidade inicial é de movimentação é de 6 milhões de toneladas, o que deve limitar a operação. "Estamos estudando a possibilidade de ter um ''upside'' de capacidade em Beira, mas, obviamente, enquanto Nacala não estiver pronto, estaremos limitados à capacidade de Beira", disse Mattos em seminário sobre carvão no Rio.

Para a segunda fase, em que a capacidade de Moatize deve ser dobrada, a Vale quer utilizar o corredor de Nacala para exportar o carvão. A capacidade de Nacala será de 18 milhões de toneladas e o empreendimento deve ficar pronto em 2014. O projeto do corredor de Nacala deve ser submetido ao conselho da Vale no terceiro trimestre, afirmou Mattos.

"Apresentaremos o projeto para o conselho da Vale aprovar no terceiro trimestre. Estamos aguardando o licenciamento, que está em fase avançada. Isso não vai ser um gargalo, afirmou.

Tudo o que sabemos sobre:
mineraçãocarvãoValeMoçambique

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.