Vale ganha na Justiça direito de impedir invasões do MST

A Vale conseguiu na Justiçaliminar que impede o Movimento dos Trabalhadores Rurais SemTerra (MST) e seu principal dirigente, João Pedro Stédile, defazerem ou incitarem manifestações violentas nas instalações daempresa, assim como atos que interrompam a atividade damineradora, sob pena de multa. A reação acontece após sucessivas invasões do MST ainstalações da companhia pelo país desde 22 de agosto de 2007,quando o MST invadiu a Ferrovia Centro Atlântica (FCA), em BeloHorizonte, fazendo dois empregados de reféns. Duas outras invasões foram realizadas em outubro do mesmoano, todas na Estrada de Ferro Carajás, também paralisada emnovembro, e em dezembro o movimento voltou à FCA. Em março de 2008 o MST invadiu uma unidade de uma empresade ferro gusa da Vale, a Ferro Gusa Carajás, no Maranhão, e nodia 10 de março interrompeu o transporte de minério epassageiros da Estrada de Ferro Vitória Minas, fazendo omaquinista de refém. A liminar impedindo mais manifestações foi obtida na 41a.Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, informou aVale em nota nesta quarta-feira. (Reportagem de Denise Luna)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.