Vale obtém ajuste diferenciado para minério de Carajás

A Vale confirmou nestasegunda-feira que fechou em 65 por cento o ajuste de preço doscontratos de minério de ferro do Sistema Sul da companhia paraeste ano com as asiáticas Nippon Steel, do Japão, e Posco, daCoréia do Sul, acima do esperado pelo mercado, que apostavaentre 30 e 50 por cento. A empresa conseguiu pela primeira vez preço diferenciadopara o minério produzido em Carajás, cujo aumento foi da ordemde cerca de 71 por cento. "Os preços para 2008 refletem a continuidade do excesso dedemanda no mercado global de minério de ferro", afirmou a Valeem um comunicado. Mais cedo, as siderúrgicas asiáticas tinham anunciado oajuste. [ID:nN18300151] Os novos preços de referência, em tonelada métrica seca(dmt), são 1,1898 dólar por unidade de ferro para o Sistema Sule 1,2517 dólar por unidade de ferro para o minério de Carajás. Para o analista do ABN Amro Pedro Galdi, o valor obtidopela Vale junto às siderúrgicas foi "excelente", e a tendênciaé de que os outros clientes, inclusive a China, sigam o ajuste. Para ele, o aumento dá ainda mais força para Vale fazernova oferta pela Xstrata. "Isso (o ajuste) ajuda e muito, mas vamos ver qual adecisão dela (Vale), se vai aumentar a oferta", disse Galdi àReuters. Ele observou que o receio de perder a posição de grau deinvestimento poderá limitar uma oferta excessiva pela Xstrata. A Vale admitiu há algumas semanas que estaria interessadaem adquirir a Xstrata, produtora de cobre, níquel, carvão,entre outros. Segundo fontes do mercado, a primeira oferta da Vale teriasido de 76 bilhões de dólares, ou 40 libras por ação, enquantoos acionistas da Xstrata teriam pedido 48 libras por ação. (Reportagem de Denise Luna)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.