Vale obtém ajuste diferenciado para minério de Carajás

A Vale confirmou nestasegunda-feira que fechou em 65 por cento o ajuste de preço doscontratos de minério de ferro do Sistema Sul da companhia paraeste ano com as asiáticas Nippon Steel, do Japão, e Posco, daCoréia do Sul, acima do esperado pelo mercado, que apostavaentre 30 e 50 por cento. A empresa conseguiu pela primeira vez preço diferenciadopara o minério produzido em Carajás, cujo aumento foi da ordemde cerca de 71 por cento. "Os preços para 2008 refletem a continuidade do excesso dedemanda no mercado global de minério de ferro", afirmou a Valeem um comunicado. Mais cedo, as siderúrgicas asiáticas tinham anunciado oajuste. [ID:nN18300151] Os novos preços de referência, em tonelada métrica seca(dmt), são 1,1898 dólar por unidade de ferro para o Sistema Sule 1,2517 dólar por unidade de ferro para o minério de Carajás. Para o analista do ABN Amro Pedro Galdi, o valor obtidopela Vale junto às siderúrgicas foi "excelente", e a tendênciaé de que os outros clientes, inclusive a China, sigam o ajuste. Para ele, o aumento dá ainda mais força para Vale fazernova oferta pela Xstrata. "Isso (o ajuste) ajuda e muito, mas vamos ver qual adecisão dela (Vale), se vai aumentar a oferta", disse Galdi àReuters. Ele observou que o receio de perder a posição de grau deinvestimento poderá limitar uma oferta excessiva pela Xstrata. A Vale admitiu há algumas semanas que estaria interessadaem adquirir a Xstrata, produtora de cobre, níquel, carvão,entre outros. Segundo fontes do mercado, a primeira oferta da Vale teriasido de 76 bilhões de dólares, ou 40 libras por ação, enquantoos acionistas da Xstrata teriam pedido 48 libras por ação. (Reportagem de Denise Luna)

REUTERS

18 de fevereiro de 2008 | 10h52

Tudo o que sabemos sobre:
SIDERURGIAVALE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.