Ricardo Moraes/Reuters
Ricardo Moraes/Reuters

Vale retoma produção, mas ainda extrai 17% menos do que há um ano

No terceiro trimestre, mineradora extraiu 86,7 milhões de toneladas de minério de ferro, com alta de 35,4% em relação a trimestre anterior, mas ainda longe do que produzia há um ano; Sistema Norte cresceu 33%

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

14 de outubro de 2019 | 11h15

A produção de minério de ferro da Vale no terceiro trimestre alcançou 86,7 milhões de toneladas, queda de 17,4% em relação ao mesmo trimestre de 2018 e alta de 35,4% na comparação com o trimestre imediatamente anterior. A mineradora atribuiu a melhora na margem ao “progresso contínuo na retomada de operações nos Sistemas Sul e Sudeste e, também, do forte desempenho operacional e da normalização dos embarques no Sistema Norte”.

Segundo o relatório de produção divulgado nesta segunda, 14, a retomada das operações de Brucutu e o retorno parcial das operações de processamento a seco no Complexo de Vargem Grande, anunciados em junho e julho, respectivamente, contribuíram para o resultado. As operações foram paralisadas após o rompimento da barragem de Brumadinho, em janeiro, e em decorrência de decisões da Agência Nacional de Mineração (ANM).

No documento, a Vale reafirmou que espera retomar a produção remanescente de aproximadamente 50 milhões de toneladas de minério até o fim de 2021, uma vez que diversos marcos foram alcançados e outros estão em andamento, incluindo a aprovação de testes de gatilho na mina para retomar as operações de processamento a seco e a autorização de testes de gatilho no TFA (Terminal Ferroviário de Andaime), segundo a companhia um passo importante para desengargalar a logística do Complexo de Vargem Grande.

A Vale afirma que o Sistema Norte mostrou forte desempenho operacional com um volume de produção de 55,4 milhões de toneladas no trimestre, ficando 33,3% maior do que no segundo trimestre deste ano e 2,7% maior do que no igual período de 2018. O resultado inclui a produção recorde de 20,4 milhões de toneladas no projeto S11D, em consequência de seu ramp-up bem sucedido. Em 2020 a Vale espera produzir 90 milhões de toneladas de minério de ferro em S11D.

No trimestre, a empresa disse que o teor de ferro do portfólio de produtos alcançou 64,7%; o de alumina, 1,2%; e o de sílica, 3,1%.

Previsão

No terceiro trimestre o volume de vendas de finos de minério de ferro e de pelotas totalizou 85,1 milhões de toneladas. As vendas de minério de ferro somaram 74.039 milhões de toneladas, queda de 11,8% ante o mesmo trimestre do ano passado e crescimento de 19,5% na comparação com o segundo trimestre. Já as vendas de pelotas ficaram em 11.077 milhões de toneladas no período, com recuo de 22,3% em relação a um ano antes e alta de 25,3% na margem.

No relatório, a Vale reafirmou seu guidance de vendas de minério de ferro e pelotas de 307 milhões de toneladas a 332 milhões de toneladas para 2019, com expectativa de que as vendas se situem próximas ao centro da faixa. Em setembro, a Vale revisou seu guidance (previsão) de produção de pelotas no ano de 45 milhões de toneladas para 43 milhões de toneladas, o que não alterou a projeção para as vendas.

Venda

A mineradora também informou que sua subsidiária Vale Canada Limited (VCL) assinou acordo com a Sumitomo Metal Mining e a estatal da Indonésia Inalum sobre a venda da mineradora de níquel PT Vale Indonesia.

Pelo acordo, exigido em aditivo contratual de 2014 com o governo da Indonésia, a Vale Canada e a Sumitomo concordaram em vender 20% de participação, enquanto a Inalum, que supervisiona investimentos estatais em mineração, irá adquirir essa fatia.

Após a transação, a Vale Canada e a Sumitomo passarão a deter em conjunto aproximadamente 59% das ações da PT Vale Indonesia. Atualmente, elas detêm 58,7% e 20,1% das ações, respectivamente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.