Vale terá impacto negativo de R$ 528 mi no 4º trimestre

A Vale vai aderir ao regime previsto na nova legislação sobre ICMS (Lei 20.540 e Decreto 46.110) recentemente publicada pelo Estado de Minas Gerais. Isso resultará em um impacto contábil negativo de R$ 528 milhões sobre o resultado da companhia no quarto trimestre de 2012, informou a empresa nesta quarta-feira por meio de comunicado.

AE, Agencia Estado

19 de dezembro de 2012 | 16h09

A adesão, diz a empresa, permitirá o término dos processos descritos no formulário de referência da Vale e evitará novas autuações sobre a utilização de valor de mercado versus custo de produção como base de cálculo para incidência do ICMS sobre transferências de produtos minerais.

Os processos existentes referentes aos anos de 2006 e 2007, com valor original de R$ 2,1 bilhões, serão encerrados com o pagamento de R$ 168 milhões em 2012, disse a empresa. A adesão evitará também autuações relativas ao período 2008-2012 mediante pagamento de R$ 495 milhões, sendo R$ 92 milhões em 2012 e R$ 403 milhões ao longo dos próximos dois anos.

O impacto contábil negativo de R$ 528 milhões já leva em consideração o valor provisionado de R$ 135 milhões. De acordo com a empresa, o efeito sobre o fluxo de caixa será de R$ 260 milhões no quarto trimestre de 2012 e de R$ 403 milhões em 2013-2014.

Tudo o que sabemos sobre:
Valeresultado contábil4º trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.