Vale volta a ampliar diferença sobre Petrobras

A Vale ampliou a distância na posição de maior exportadora brasileira em relação à segunda colocada, a Petrobras. No intervalo de janeiro a julho a mineradora registrou as exportações de US$ 14,395 bilhões, 111% a mais do que as receitas geradas pela petrolífera (US$ 6,817 bilhões). No primeiro semestre a diferença acumulada era de 106%, de acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).

FERNANDA GUIMARÃES, Agencia Estado

26 de agosto de 2013 | 11h25

O total exportado no acumulado dos sete primeiros meses pela Vale é praticamente estável em relação ao observado no mesmo período do ano anterior (+0,33%). No caso da Petrobras houve um recuo de 48,35% ante as receitas obtidas em igual período do ano passado.

Considerando apenas o mês de julho, as exportações da Vale somaram US$ 2,233 bilhões, recuo de 8,15% em relação ao registrado no mesmo mês de 2012. Já as exportações da Petrobras no mês passado chegaram a US$ 924,128 milhões, retração de 47,36%.

Em julho o preço médio do minério de ferro praticado ficou em US$ 89,8 a tonelada, recuo de 13,9% ante o mesmo intervalo do ano passado. Ante junho o preço médio ficou 9,5% menor.

Depois de Vale e Petrobras, que encabeçam a lista dos maiores exportadores do País, estão Bunge, Cargill e BRF.

Déficit - De janeiro a julho, com as exportações em queda, o déficit comercial da Petrobras subiu mais uma vez. As importações da petrolífera atingiram US$ 25,329 bilhões no período, resultando em um déficit de US$ 18,512 bilhões. A Petrobras é, de longe, a maior importadora do País, aponta o Mdic.

Tudo o que sabemos sobre:
Valeexportações

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.