‘Vamos mexer com o mercado de telefonia fixa’, diz Vivo

Com serviços lançados hoje, companhia focará em clientes do segmento móvel que queiram aderir a um pacote combo, com telefone fixo e internet

Sabrina Valle, da Agência Estado,

24 de outubro de 2011 | 18h38

O diretor-geral da Telefônica/Vivo, Paulo Cesar Teixeira, afirmou nesta segunda-feira, 24, esperar que a oferta do Vivo Fixo e o Vivo Box mude a configuração do mercado de telefonia fixa no Brasil. A empresa focará, num primeiro momento, em clientes próprios do segmento móvel que queiram aderir a um pacote combo, com telefone fixo e/ou internet. Mas a companhia também vê forte potencial de crescimento nos municípios que hoje não são atendidos por rede de internet por rede fixa. "Vamos mexer com o mercado de telefonia fixa", afirmou Teixeira, em lançamento no Rio.

Os dois serviços apresentados hoje são os primeiros dentro da sinergia entre as empresas Telefônica e Vivo. A empresa calcula que existam 52,6 milhões de domicílios fora do Estado de São Paulo, com apenas 50,7% deles com linhas fixas em serviço. "Isso justifica nossa entrada na telefonia fixa", disse.

O Vivo Fixo e o Vivo Box (combo com fixo, internet e wi-fi) foram lançados inicialmente em Porto Alegre em 6 de outubro e chegaram hoje a 19 cidades do Rio. A tecnologia de internet é a mesma usada na rede de celular Vivo, portanto a operadora não pretende competir com as altas velocidades oferecidas por redes fixas, e sim atender à demanda por serviços integrados. "Não estamos prometendo um serviço de cabo. (A internet) móvel tem características muito próprias. A velocidade é a mesma que entregamos no móvel", disse.

O Vivo Fixo custará a partir de R$ 9,90 para quem já é cliente da operadora, com limites de minutos e tarifas mais baratas (móvel) ou gratuitas (outros fixos Vivo) para ligações entre serviços da mesma empresa. Há dois modelos de telefone disponíveis, que custarão entre R$ 29 e R$ 149, dependendo do plano escolhido pelo cliente. Os telefones fixos também oferecerão serviços típicos de celular, como envio de SMS e torpedo recado (torpedos com mensagens de voz), além de identificação de chamada.

Já o Vivo Box, que será oferecido também para clientes corporativos, custará a partir de R$ 44,80 por mês, no caso de plano de 500 MB e 60 minutos no telefone. Os aparelhos custarão entre R$ 49 e R$ 299. O Vivo Box funciona em rede wi-fi, bastando ligá-lo à tomada para acionar a conexão. A rede de internet será a de celular, mas a utilização do aparelho estará restrita a uma área específica cadastrada pelo cliente, ou seja, não haverá mobilidade.

A Vivo quer chegar a meados de 2012 com serviço 3G em 2.900 municípios, mas não há prazo para tornar o Vivo Fixo e o Vivo Box serviços com cobertura nacional.

Tudo o que sabemos sobre:
vivotelefoniamercado

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.