Varejo fraco e prejuízo do Citi abalam Wall Street

As bolsas de valores dos EstadosUnidos caíram mais de 2 por cento nesta terça-feira, depois queo prejuízo trimestral recorde do Citigroup e o pior resultadoem cinco anos das vendas no varejo alimentaram o temor derecessão. O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York,recuou 2,17 por cento, para 12.501 pontos. O termômetro detecnologia Nasdaq caiu 2,45 por cento, para 2.417 pontos. Oíndice Standard & Poor's 500 teve queda de 2,49 por cento, para1.380 pontos. O Citigroup, maior banco norte-americano, cortou seusdividendos após registrar uma baixa contábil de 18,1 bilhões dedólares por perdas relacionadas, entre outros ativos, ao setorde crédito imobiliário de alto risco (subprime). As ações dobanco despencaram 7 por cento. O quadro para as ações ficou ainda pior depois que ogoverno divulgou que as vendas no varejo caíram inesperadamenteem dezembro, para fechar o pior ano desde 2002. A alta dospreços de energia e a queda do valor das moradias reprimiram oconsumo durante a temporada de compras de fim do ano. A queda de 4,7 por cento das ações da fabricante de aviõesBoeing também influenciaram, após o Wall Street Journalpublicar que a companhia pode atrasar novamente seu 787. Além disso, os investidores não se impressionaram com asnovidades divulgadas pela Apple na convenção anual Macworld, emSan Francisco. As ações da Apple recuaram 5,4 por cento. "Foi uma tempestade perfeita de coisas negativas hoje",disse Michael James, operador da Wedbush Morgan, em LosAngeles. Ele apontou a combinação de resultados ruins do Citi,das vendas no varejo, das notícias sobre a Boeing e da falta deentusiasmo com a Apple. (Reportagem de Kristina Cooke)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.