Vazamento de óleo vem sendo tratado de forma emocional, diz IBP

Presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo argumenta que é impossível eliminar a chance de acidentes no setor

Agência Estado,

23 de novembro de 2011 | 13h17

O presidente do Instituto Brasileiro do Petróleo (IBP), João Carlos de Luca, afirmou hoje que o vazamento de óleo no poço da Chevron na Bacia de Campos vem sendo tratado "de forma muito emocional". "É preciso ter serenidade para tratar o acidente", afirmou, em seminário sobre o setor petroleiro no Rio de Janeiro.

O dirigente argumenta que é impossível eliminar a chance de acidentes no setor. Entretanto, de Luca acredita que a ameaça de suspensão das operações de empresas protagonistas de acidentes pode colocar em risco o desenvolvimento do pré-sal. O importante, pondera, "é focar no esforço de minimizar novos acidentes" e que "as empresas aprendam com os erros".

Tudo o que sabemos sobre:
IBPpetróleoChevron

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.