Vazamento de petróleo é contido na China após 4 meses

A companhia estatal chinesa CNOOC afirmou que o pior vazamento de petróleo da história do país já foi controlado, quatro meses depois de ter sido descoberto, segundo informações divulgadas hoje pela agência governamental de notícias Xinhua. De acordo com a agência, o vazamento no maior campo marítimo de petróleo da China, operado pela norte-americana ConocoPhillips, poluiu mais de 5.500 quilômetros quadrados do oceano.

HÉLIO BARBOZA, Agencia Estado

25 de outubro de 2011 | 07h36

No mês passado, o governo ordenou que a companhia interrompesse a produção no campo de Bohai Bay, na costa leste da China, anunciou que faria uma exaustiva investigação sobre o vazamento e prometeu punir os responsáveis.

A estatal CNOOC, sócia da ConocoPhillips na operação do campo petrolífero, afirmou que todos os pontos de vazamento foram identificados e tampados, disse a Xinhua. "Acreditamos ter cumprido as exigências estabelecidas pela Administração Oceânica Estatal para examinar em profundidade, bloquear as fontes de vazamento e continuar a limpar a lama oleosa", afirmou Chen Bi, vice-presidente executivo da CNOOC, entrevistado pela agência.

A Administração Oceânica Estatal, que supervisiona e administra as águas oceânicas da China, disse que vai processar a ConocoPhillips pelo vazamento, descoberto em junho, mas só divulgado quase um mês depois. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.