Venda de veículos em novembro está acima da média de outubro, diz Anfavea

A média das vendas de veículos novos no Brasil em novembro está acima da registrada no mês passado, afirmou nesta segunda-feira o presidente da entidade que representa as montadoras do país, Anfavea.

REUTERS

17 de novembro de 2014 | 12h54

"A média de vendas da primeira quinzena está muito acima das 13 mil unidades por dia que lutamos para conseguir em outubro", disse o presidente da Anfavea, Luiz Moan, durante evento sobre o setor promovido pela revista Quatro Rodas.

Segundo Moan, se o ritmo de vendas do segundo semestre se mantiver, o setor terá "2015 bastante positivo, com retomada do crescimento". Ele não pôde precisar detalhes sobre o movimento de vendas da primeira quinzena de novembro.

A indústria de veículos caminha para encerrar 2014 com a segunda queda seguida nas vendas anuais. A expectativa da Anfavea é de recuo de 5,4 por cento nos licenciamentos este ano, apesar de no acumulado de janeiro a outubro as vendas estarem em queda de 8,9 por cento.

Moan afirmou que o setor espera uma retomada nos financiamentos às vendas de veículos novos por parte dos bancos após a publicação na sexta-feira de lei que facilita a retomada de veículos de clientes que não cumprirem prazos de pagamento. Segundo o presidente da Anfavea, o processo de retomada de um veículo pelo banco pode demorar entre 7 e 17 meses e com a publicação da nova regra esse tempo deve cair para cerca de 3 meses.

"Isso permitirá a redução do custo dos empréstimos (...) É possível que os efeitos da nova lei sejam sentidos já este ano", disse Moan.

Ele comentou ainda que a Anfavea está tentando um acordo de comércio com o México envolvendo veículos pesados. A expectativa é que uma proposta do setor privado aos governos de Brasil e México possa ser apresentada até o final do próximo ano.

No segmento de veículos leves, o acordo atual do país com o México, que estabelece cotas para a comercialização de veículos sem incidência de impostos, vence em 20 de março.

Moan esteve no México na semana passada discutindo o acordo para veículos pesados e os termos para renovação do acordo sobre leves. Segundo ele, a proposta da Anfavea envolve o livre comércio de veículos leves após 20 de março.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSMERCADONOVEMBRO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.