Vendas da Alstom recuam 12% no 1º trimestre fiscal

A receita da Alstom, que tem unidade no Brasil, recuou mais do que o esperado no primeiro trimestre fiscal, refletindo as encomendas fracas durante o trimestre anterior. A companhia, especialista em infraestruturas de energia e equipamento ferroviário, manteve, no entanto, suas perspectivas para o ano cheio, à medida que espera que seus negócios se recuperarão até o fim deste ano. As ações da companhia caíam 1,09% na Bolsa de Paris por volta das 10h18 (de Brasília).

CLARISSA MANGUEIRA, Agencia Estado

20 de julho de 2011 | 10h38

As vendas da empresa caíram 12% no primeiro trimestre fiscal, para 4,5 bilhões de euros, em comparação com o mesmo período do ano fiscal passado. As encomendas registradas subiram 44%, para 5 bilhões de euros, no entanto. A carteira firme de pedidos (backlog) totalizou 47 bilhões de euros em 30 de junho, o equivalente a 28 meses de vendas, afirmou a Alstom em comunicado.

As vendas ficaram abaixo da média das projeções de cinco analistas entrevistados pela Dow Jones, de 5,27 bilhões de euros. Os analistas também tinham previsto encomendas de 5,15 bilhões de euros.

A companhia confirmou que sua margem operacional para o ano fiscal, de abril de 2011 até março de 2012, continua dentro da faixa anunciada anteriormente de entre 7% e 8%. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.