Vendas da Diageo sobem no 3º trimestre, mas desaceleram

A Diageo, a maior destiladora de mundo em termos de receita, registrou crescimento lento das vendas no terceiro trimestre, apesar do comércio ter continuado robusto na América do Norte, sua maior e mais lucrativa região. A companhia disse também que os principais mercados emergentes estão mostrando tendências de enfraquecimento do consumo.

Agencia Estado

18 de abril de 2013 | 14h53

A empresa afirmou que suas vendas subiram 4% no terceiro trimestre, excluindo aquisições, vendas de ativos e efeitos cambiais, depois de uma alta de 6% em igual período do ano passado. No primeiro trimestre e no primeiro semestre o crescimento das vendas da Diageo foi de 5%. Os volumes no terceiro trimestre caíram 1%.

Em bases de nove meses, até 31 de março de 2013, as vendas da Diageo subiram 5%, enquanto os volumes aumentaram 1%. Na América Latinha e no Caribe, as vendas cresceram 14%, apesar do lento crescimento no Brasil. As vendas da empresa na América do Norte aumentaram 6%, de uma alta de 5% em igual período do ano anterior. As vendas na região da Ásia e do Pacífico avançaram 4%, ante crescimento de 10% um ano antes. Na África, Europa Oriental e Turquia, as vendas subiram 9%. As vendas na Europa Ocidental recuaram 4%.

A Diageo e outras produtoras de bebidas estão apostando em mercados emergentes de crescimento mais rápido, como a China e a Rússia, em uma tentativa de compensar a desaceleração, ou o declínio das vendas em marcas premium em economias desenvolvidas, em particular na Europa Ocidental e nos países do sul da região. Nos EUA, as vendas de bebidas continuam relativamente fortes, apesar da demanda lenta, ajudadas pelos preços mais altos.

Mas as ambições de expansão da Diageo estão focadas no Leste. Após aquisições recentes na Turquia, Brasil e China, a empresa comprou em novembro por US$ 2 bilhões uma participação de controle na United Spirits da Índia, maior mercado de uísque. Analistas do Goldman Sachs esperam que os as produtoras de destilados europeias investirão US$ 108 bilhões em aquisições até 2020. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Diageobalançoterceiro trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.