Vendas da Unilever recuam no 1º trimestre

O grupo anglo-holandês Unilever informou, nesta quinta-feira, que as vendas no primeiro trimestre, excluindo aquisições, alienações e os movimentos de câmbio, subiram 4,9% ante o mesmo período do ano anterior. Analistas haviam previsto uma alta de 5,6%. O volume de vendas, sob as mesmas condições, subiu 2,2% e os preços de suas mercadorias avançaram 2,6% na mesma comparação.

Agencia Estado

25 de abril de 2013 | 08h32

A empresa disse que a desaceleração do crescimento das vendas na América do Norte e um começo moderado de compras de sorvete na Europa levou a um crescimento da receita menor do que o esperado.

Mais da metade da receita da Unilever vem de mercados em desenvolvimento que estão em rápido crescimento, como a Indonésia e a Índia, o que significa que a empresa está bem protegida contra os problemas econômicos do Ocidente. A demanda por itens de higiene pessoal, como shampoo e desodorante em toda a Ásia, África e América Latina estão ajudando o grupo a superar os concorrentes que estão mais expostos a venda de alimentos, direcionados por economias desenvolvidas.

O setor de alimentos, duramente atingido pela crise econômica, é responsável por cerca de 30% das operações da Unilever, que é uma proporção menor do que os rivais europeus. As vendas da Unilever na América do Norte subiram 0,3%, bem abaixo do crescimento de 5% no mesmo trimestre do ano passado. Os mercados emergentes registraram uma alta nas vendas de 10,4%, mas na Europa elas caíram 3,1%. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Unilevervendas1º trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.