Vendas de fertilizantes crescem, mas indústria mantém cautela

Revendas brasileiras somaram 1,343 milhão de toneladas em janeiro, crescimento de 37% ante dezembro

Equipe AE,

19 de fevereiro de 2009 | 17h21

As entregas de fertilizantes nas revendas brasileiras somaram 1,343 milhão de toneladas em janeiro, crescimento de 37% ante dezembro. Entretanto, na comparação com igual período de 2008, quando o setor registrou vendas recordes quase 1,9 milhão de toneladas, a queda foi de 28%.

 

O número, divulgado há pouco pela Associação Nacional para a Difusão de Adubos (Anda), supera projeção preliminar que apontava vendas de 1,2 milhão de toneladas no mês. A Anda atribuiu a expansão das vendas ao recuo de preços no mercado interno.

 

Em nota, o diretor executivo da associação, Eduardo Daher, lembra ainda que a quebra da safra na Argentina e Austrália, provocada pela seca, estimulou produtores de grãos, como milho e trigo.

 

Ainda em nota, o executivo destaca que o crescimento é momentâneo e não pode ser interpretado como uma tendência para 2009. Segundo ele, o setor também está sentido os reflexos da crise mundial, especialmente, por conta das restrições de crédito.

Tudo o que sabemos sobre:
Agronegóciofertilizantes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.