Vendas de novas moradias nos EUA têm máxima de 2 anos em maio

Comércio de residências novas subiu 7,6% em maio, com 369 mil unidades

REUTERS

25 de junho de 2012 | 11h38

WASHINGTON - As vendas de novas moradias nos Estados Unidos atingiram em maio a máxima de dois anos e os preços subiram em relação ao mesmo período do ano passado em meio a um aperto da oferta, ampliando os sinais de que o mercado imobiliário está retomando a força.

O Departamento do Comércio informou nesta segunda-feira que as vendas saltaram 7,6%, para uma taxa anual de 369 mil unidades, já descontados os efeitos sazonais, maior patamar desde abril de 2010. O número representa avanço de quase 20% na comparação com o mesmo mês do ano passado.

Economistas consultados pela Reuters previam vendas de 346 mil unidades no mês passado ante 343 mil em abril. O ritmo das vendas de março foi revisado para 347 mil unidades ante 332 mil reportadas anteriormente.

Os preços das novas residências subiram 5,6% em maio, em relação ao mesmo mês do ano passado, para uma média de US$ 234.500,00.

O estoque de novas residências foi de 145 mil em maio, o que representa uma oferta para 4,7 meses à taxa de vendas atual. Por regiões, as vendas de residências novas subiram 36,7% no Nordeste e 12,7% no Sul. Já no meio-oeste houve queda de 10,6% e o Oeste registrou baixa de 3,5%.

(Com informações da Agência Estado)

Tudo o que sabemos sobre:
MACRONOVASMORADIAS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.