Vendas no varejo caem 4,8% em abril no Japão

A queda foi em boa parte provocada pelas vendas de automóveis, que diminuíram 38% na mesma base de comparação

Danielle Chaves e Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

27 de maio de 2011 | 08h44

As vendas no varejo do Japão caíram 4,8% em abril, em relação ao mesmo mês do ano passado, informou o Ministério da Economia, Comércio e Indústria. Esse foi o primeiro resultado mensal completo após a forte contração que ocorreu no país após o terremoto de 11 de março. A queda foi em boa parte provocada pelas vendas de automóveis, que diminuíram 38% na mesma base de comparação.

De acordo com o ministério, as vendas de vestuário subiram 4,5%, enquanto as de máquinas caíram 9,6% e as de combustíveis aumentaram 1,0%. As vendas de grandes varejistas tiveram queda de 1,9%, depois de contabilizada uma mudança no número de lojas. O dado de março foi revisado para uma baixa de 8,3% ante março de 2010.

Inflação

O núcleo do índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) do Japão teve alta de 0,6% em abril, em relação ao mesmo mês do ano anterior, informou o governo. Este é o primeiro aumento registrado em mais de um ano. O resultado coincide com a mediana das previsões dos economistas. Em março, houve queda anual de 0,1% nos preços dos itens que compõem o núcleo da inflação no Japão.

Na região metropolitana de Tóquio, o núcleo do CPI referente a maio apresentou elevação de 0,1% em termos anuais. Este é o segundo mês consecutivo de alta. Em abril, a alta foi de 0,2%. A mediana das expectativas para o núcleo de CPI de maio em Tóquio era de 0,2%. No Japão, o núcleo do índice de preços ao consumidor exclui alimentos, mas inclui preços de energia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
vendasvarejoinflaçãoJapão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.