Vendas nos supermercados caem em abril, mas setor aposta em melhora com a Copa

Influenciadas por efeito sazonal, na comparação com março, as vendas caíram 3,83%

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

26 de maio de 2010 | 11h38

As vendas reais nos supermercados recuaram 0,49% em abril em comparação ao mesmo mês do ano passado, segundo divulgou a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Na comparação com março, as vendas caíram 3,83%, enquanto no acumulado dos quatro primeiros meses de 2010 houve expansão de 6,18% sobre igual período de 2009. Os números estão deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O superintendente da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), Tiaraju Pires, afirmou, porém, que a Copa do Mundo deve acelerar as vendas do setor a partir de maio. Segundo ele, entre maio e junho as vendas de televisores devem subir até 30%, enquanto bebidas devem ter alta de até 27% em junho e julho.

"O evento Copa do Mundo trará efeito positivo às vendas, elevando o patamar de crescimento à faixa de 8% entre e maio e julho", disse. Pires ressaltou que a queda nas vendas em abril "pode causar estranheza", mas é compreensível em razão dos efeitos da Páscoa, que teve compras antecipadas para o final do mês anterior. Em 2010, a Páscoa caiu no dia 4 de abril ao passo que no ano anterior foi no 12 desse mês.

Segundo o dirigente, os fatores que ajudarão o crescimento das vendas este ano são a criação de empregos, o aumento da massa salarial e a distribuição de renda por meio do Bolsa Família.  

Queda de abril

Segundo a Abras, a queda das vendas em abril ante março ocorreu em razão do efeito sazonal, já que março tem um dia a mais que abril, e contou também com maior impacto das vendas da Páscoa. Este feriado aconteceu no início de abril, e, com isso, as vendas se concentraram no final do mês anterior. Sobre o desempenho anual, a entidade espera manter ao longo do ano um patamar de crescimento de vendas de 8%, puxado pela recuperação da economia e também por conta da Copa do Mundo, que deve puxar a comercialização de televisores, bebidas e alimento.

O valor da cesta de 35 produtos considerados de largo consumo, medido pela Abras e GfK, registrou uma alta 1,76% em abril ante março, para R$ 279,32. Já em relação a abril de 2009, o aumento foi de 7,94%.

Os produtos que registraram as maiores altas em abril ante março foram batata (32,44%), feijão (20,19%), cebola (7,41%). As maiores quedas ficaram com desinfetante (-3,65%), sabão em pó (-3,27%) e tomate (-3,24%). 

Tudo o que sabemos sobre:
Abrassupermercadovendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.