Vendas reais dos supermercados sobem 8,56% em doze meses

Segundo Abras, o desempenho positivo está sendo puxado pelo crescimento da geração de empregos e da massa salarial

Rodrigo Petry, da Agência Estado,

24 de fevereiro de 2010 | 13h01

As vendas reais nos supermercados cresceram 8,56% em janeiro em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo divulgou há pouco a Associação Brasileira de Supermercados (Abras). Em relação a dezembro, principal mês de vendas do setor, o faturamento dos supermercados, sem ajuste sazonal caiu 21,74%. Os números estão deflacionados pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

 

Segundo a Abras, a alta nas vendas dos supermercados em janeiro foi considerada "expressiva, mostrando que a tendência de crescimento apresentada em 2009 continua ativa". A  Abras prevê tendência de crescimento das vendas em 2010 em linha com o desempenho de janeiro, quando as vendas reais subiram 8,5%. "O mês de janeiro, que apresentou uma alta expressiva, serve com termômetro das vendas anuais", afirmou o presidente da Abras Sussumu Honda, em entrevista coletiva. "Ainda existe no Brasil uma demanda reprimida muito grande pelo consumo de produtos alimentares."O dirigente explica que o aumento de vendas vem sendo puxado pelo reajuste do salário mínimo e o crescimento do emprego, sobretudo da indústria. "Isso vai contribuir para o crescimento da renda, que impacta diretamente nas disponibilidades dos consumidores em gastar nos supermercados", disse.

 

Quanto aos preços, Honda diz não acreditar que a alta nos alimentos em janeiro se mantenha ao longo do ano. Ele ressalta que a indústria alimentícia ainda está operando abaixo da capacidade instalada. Além disso, salienta que o dólar na faixa atual incentiva as importações e deverá servir como regulador dos preços.

 

Sobre a Páscoa, a expectativa inicial da entidade é de que as vendas cresçam em linha com o desempenho do ano passado, com alta de 10%. Segundo ele, as altas dos insumos utilizados na fabricação de chocolate, como cacau e açúcar, não devem impactar as vendas dos ovos.

 

Cesta de produtos

 

O valor da cesta de 35 produtos considerados de largo consumo, medido pela Abras e pela GfK, como alimentos, limpeza e beleza, apresentou alta de 0,89% em janeiro na comparação com dezembro de 2009, para R$ 261,51. Em relação a janeiro de 2009, a cesta da Abras teve queda de 0,12%.

 

Os produtos da cesta que registraram as maiores altas em janeiro sobre dezembro foram batata (21,35%) açúcar (4,62%) e leite longa vida (2,73%), enquanto as maiores quedas foram tomate (-14,36%). cebola (-10,07%) e óleo de soja (-3,54%).

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
Abras, supermercado, vendas, varejo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.