Venezuela anuncia oferta de blocos do Orinoco

A Venezuela anunciará em breve ocronograma para ofertar a empresas privadas nacionais einternacionais três blocos da faixa petrolífera do Orinoco,afirmou na quinta-feira à noite a estatal Petróleos daVenezuela (PDVSA). A estatal venezuelana explicou que oferecerá os blocosCarabobo 1, 2 e 3. A exploração em Carabobo fazia parte de um acordo entre aPDVSA e a Petrobras que envolve a refinaria Abreu Lima, queestá sendo construída em Pernambuco pela estatal brasileira comparticipação ainda não confirmada da PDVSA. "Apesar de protocolos de intenções terem sido assinados egrupos de trabalho estarem trabalhando de um lado e de outro, nada saiu do papel e pelo jeito não vai sair, se estão vendendoos blocos", afirmou uma fonte da companhia que preferiu não seidentificar. Pelo acordo inicial, que começou a ser costurado em 2003, aPetrobras teria 40 por cento da exploração de Carabobo e 60 porcento da refinaria em Pernambuco, que processaria o petróleopesado produzido no campo venezuelano, enquanto a PDVSA teria60 por cento de Carabobo e 40 por cento na refinaria. Depois de anos de negociação, a Petrobras já informou quetanto a sua participação em Carabobo como a da PDVSA narefinaria brasileira poderia cair para 10 por cento. A Petrobras já iniciou as obras da refinaria, projeto de2,5 bilhões de dólares para processar 200 mil barris diários depetróleo a partir de 2010. A Petrobras entrou na Venezuela em 2003, após a compra em2002 da argentina Perez Companc, que atuava na exploração eprodução de petróleo e gás natural no país vizinho. A bacia do Orinoco produz atualmente cerca de 600.000barris por dia de petróleo pesado, a maior parte otimizado emquatro plantas de beneficiamento. (Por Deisy Buitrago, com reportagem adicional de DeniseLuna, no Rio de Janeiro)

REUTERS

06 de junho de 2008 | 10h24

Tudo o que sabemos sobre:
ENERGIAPETROLEOVENEZUELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.