Venezuela pretende tomar US$ 8 bi em empréstimos da China em janeiro

Segundo o governo venezuelano, maior parte dos recursos será  empregada em projetos habitacionais e 'na construção de novas cidades'

Ricardo Gozzi, da Agência Estado,

27 de dezembro de 2011 | 16h41

CARACAS - O governo da Venezuela pretende assinar em janeiro uma série de convênios por meio dos quais tomará emprestados US$ 8 bilhões da China, afirmou nesta terça-feira, 27, o presidente venezuelano, Hugo Chávez, ao falar ao vivo por telefone na televisão estatal do país sul-americano.

De acordo com Chávez, a Venezuela tomará US$ 4 bilhões do Industrial & Commercial Bank of China e renovará uma tranche de US$ 4 bilhões de um fundo bilateral do Banco de Desenvolvimento da China. A maior parte dos recursos, prosseguiu ele, será empregada em projetos habitacionais e "na construção de novas cidades".

Chávez, que pretende concorrer à reeleição em outubro de 2012, afirmou ainda que uma delegação chinesa desembarcará em Caracas no mês que vem para assinar os convênios. Chávez fez dos programas habitacionais do governo uma de suas principais bandeiras de campanha. O governo venezuelano promete entregar 2 milhões de casas populares no decorrer dos próximos anos.

Nos últimos anos, a Venezuela tem recorrido à China para tomar bilhões de dólares em empréstimos para levar adiante projetos de desenvolvimento. Parte desses empréstimos é paga em remessas de petróleo para a China de aproximadamente 400.000 barris por dia.

As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
venezuelaempréstimochina

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.