Via Varejo aposta em Copa e investe em celular e móveis

A Via Varejo, empresa do Grupo Pão de Açúcar (GPA), dona do Ponto Frio e das Casas Bahia, aposta na Copa do Mundo para acelerar as vendas do segundo trimestre de 2014 enquanto investe em celulares e móveis como estratégia de médio prazo. Em entrevista ao Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, o novo diretor presidente da companhia, Líbano Barroso, disse que a empresa estuda lançar até o final do ano serviço de ativação de linhas de celular nas lojas.

DAYANNE SOUSA, Agencia Estado

29 de abril de 2014 | 19h29

"Estamos avaliando a possibilidade de, a semelhança do que acontece nos Estados Unidos, permitir que o cliente ative sua linha pós paga em uma de nossas lojas", comentou. "Não temos o objetivo de ser operador de telefonia celular, mas esperamos ter uma cooperação com as operadoras", acrescentou. De acordo com Barroso, o plano ainda é embrionário e é cedo para falar em números.

Ao mesmo tempo, a empresa trabalha para reformular seu negócio de móveis, depois de adquirir o controle da fabricante de móveis Bartira, que tem produtos vendidos nas lojas da Via Varejo. "Vemos o segmento de móveis como uma oportunidade porque há poucas indústria com escala e queremos ser um provedor para nossas lojas", comentou Barroso. Ele afirmou que hoje na indústria moveleira há demora para atender à demanda do consumidor e que a companhia considera ter "capacidade de fazer isso rápido".

No primeiro trimestre de 2014, a Via Varejo reportou desaceleração nas vendas, com o índice de vendas "mesmas lojas" (o qual considera apenas unidades abertas há mais de um ano) crescendo 3,6% em relação ao mesmo período do ano anterior. No ano anterior, as vendas "mesmas lojas" tinham crescido próximo de 8% nas lojas físicas, comenta o diretor vice-presidente Financeiro da Via Varejo, Vitor Fagá.

A desaceleração das vendas, porém, não foi recebida com frustração, até porque a companhia cumpriu sua meta de elevar a lucratividade. As margens cresceram sobretudo por conta de controle de custos.

De acordo com Fagá, o crescimento do primeiro trimestre fez parte de uma "estratégia desenhada" desde o ano passado. O foco será aumentar o volume de vendas no segundo trimestre em razão da Copa do Mundo, principalmente com TVs. Em teleconferência com analistas e investidores mais cedo, Fagá afirmou que a companhia espera elevação de 20% a 30% nas vendas apenas nas categorias de celulares e aparelhos de TV entre abril e junho ante os mesmos meses do ano anterior.

Fagá ainda afirma que a empresa manteve participação de mercado mesmo optando por ser menos agressiva com promoções no primeiro trimestre e com a desaceleração nas vendas no período. O executivo ainda avaliou que a companhia se beneficia de uma tendência de evolução do consumo de eletroeletrônicos. Enquanto varejistas de outros segmentos acreditam que as famílias estão gastando menos, ele comenta que o impulso a venda de TVs na Copa e os smartphones estão fazendo os consumidores migrarem para categorias de maior valor agregado.

A Via Varejo ainda espera continuar ao longo de 2014 com o processo de melhoria de custos que beneficiou os resultados do primeiro trimestre. "É um processo gradual e que está em andamento", comentou. Nos três primeiros meses do ano, houve diluição de custos logísticos e de montagem, além do custo de mercadoria vendida. Juntos, estes dois custos chegaram ao patamar de 69,2% da receita líquida, diminuição de 0,6 ponto porcentual na comparação com o mesmo período de 2013.

Tudo o que sabemos sobre:
Via VarejoCopavendas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.