Viajantes a negócios trocam classe executiva por econômica

Um crescente número de viajantes a negócios está trocando assentos da classe executiva por econômica, especialmente na Europa, informou um órgão da indústria nesta terça-feira.

LAURA MACINNIS, REUTERS

17 de março de 2009 | 13h25

As receitas resultantes de passagens executivas e de primeira classe registraram queda de pelo menos 25 por cento em janeiro frente ao mesmo mês do ano passado, devido à demanda menor, segundo a Associação Internacional de Transporte Aéreo (Iata, na sigla em inglês).

"Há sinal de que passageiros de negócios estão optando por passagens mais baratas", afirmou o orgão.

Enquanto viajantes a negócios têm optado por assentos mais baratos nos últimos anos, a fraqueza econômica ampliou a proliferação de linhas aéreas de baixo custo como a EasyJet e a Ryanair, acrescentou a associação.

Passagens promocionais servem para encorajar viagens, apesar do aumento do desemprego e da turbulência financeira estarem desgatando a indústria, de acordo com a Iata, que representa 230 companhias aéreas.

"As passagens promocionais agora também estão caindo acentuadamente, assim como o número de passageiros", informou a associação.

A demanda por viagens econômicas também despencou em resposta à crise financeira global, mas em um ritmo mais lento do que o segmento premium.

Tudo o que sabemos sobre:
AEREASNEGOCIOSECONOMICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.