ViaVarejo explica baixa exposição ao 'Minha Casa Melhor'

O diretor presidente da ViaVarejo, Francisco Valim, afirmou que a companhia tem baixa exposição ao programa do governo federal "Minha Casa Melhor", de crédito subsidiado para compra de eletrodomésticos e móveis para mutuários do programa "Minha Casa, Minha Vida". "Como operamos em regiões de mais alta renda, estamos pouco expostos ao programa", afirmou durante teleconferência com analistas e investidores.

DAYANNE SOUSA, Agencia Estado

13 de fevereiro de 2014 | 12h56

O executivo ainda foi questionado sobre o processo de expansão e de abertura de lojas, em especial fora das regiões Sul e Sudeste. Ele declarou que a companhia segue com foco na abertura de lojas no Nordeste, "sem abrir mão das regiões onde já está".

Valim disse que a companhia não divulga metas (guidances) sobre investimentos em abertura de novas lojas. Um plano da ViaVarejo para os próximos anos apresentado em dezembro de 2013 inclui a inauguração de 210 novas lojas até 2016, especialmente em alguns Estados com forte potencial de crescimento e onde a presença da ViaVarejo ainda é baixa. Entre eles estão o Pará, Ceará e Pernambuco. No total, as regiões Norte e Nordeste devem receber 68 novas lojas nos próximos anos.

Tecnologia

Sobre os investimentos em tecnologia, o diretor vice presidente Financeiro, Vitor Fagá, afirmou que a companhia deve continuar destinando recursos para a área, mas o patamar de investimentos daqui para a frente deve ser inferior ao de 2013. Ele destacou que a empresa destinou recursos a melhoria de sistemas necessária para ganhos de eficiência e redução de despesas, mas que daqui para frente os gastos serão para manutenção da estrutura. Os investimentos em tecnologia somaram R$ 128 milhões no ano de 2013 ante R$ 48 milhões em 2012.

Tudo o que sabemos sobre:
ViaVarejoMinha Casa Melhor

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.