Vivendi, controlador da GVT, anuncia reestruturação

O conglomerado francês Vivendi, que controla a GVT no Brasil, anunciou nesta terça-feira, 30, planos de fazer uma reestruturação "radical" para se tornar uma empresa menor e focada em conteúdo e mídia.

Agencia Estado

30 de abril de 2013 | 15h12

Durante convenção anual de acionistas da Vivendi, o presidente do conselho, Jean-René Fourtou, disse que a empresa venderá um ou dois ativos com o objetivo de levantar recursos antes de uma possível oferta pública de sua operadora telefônica SFR. Segundo Fortou, qualquer decisão de listar a SFR viria depois da reestruturação, que tem como objetivo adaptar o grupo à brutal guerra de preços no mercado francês.

A venda de ativos seria usada para "beneficiar os acionistas", disse Fourtou, acrescentando que a Vivendi também vai procurar estabelecer uma liderança mais permanente, após a renúncia do ex-executivo-chefe Jean-Bernard Lévy, em junho.

Em meados de março, a Vivendi anunciou a suspensão do plano de vender a GVT, operadora brasileira de telefonia móvel e internet de banda larga. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
VivendiGVTreestruturação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.