Vivendi pensa em chamar interessados em ficar com a GVT

O grupo francês de telecomunicações e mídia Vivendi vai em breve enviar convites a possíveis interessados em sua unidade brasileira de telefonia GVT, na medida em que o processo de venda se encaminha para um estágio mais formal, informou uma pessoa ligada ao assunto

PRISCILA ARONE, Agencia Estado

21 de setembro de 2012 | 13h26

Várias companhias pediram informações à Vivendi sobre a GVT, dentre elas a empresa de televisão por assinatura norte-americana DirecTV, disse a fonte, que afirmou também que nenhuma oferta foi feita pela unidade.

A Vivendi espera tomar a decisão sobre a venda até o fim do primeiro trimestre de 2013, disse a fonte. Se o grupo não encontrar um pretendente viável para a GVT, outras alternativas serão consideradas, dentre elas uma oferta pública inicial de ações (IPO, na sigla em inglês), de acordo com duas fontes.

Um porta-voz da Vivendi disse que não fala sobre especulações de mercado e a DirecTV não respondeu ao pedido de informações. A Vivendi teria contratado os bancos Rothschild e Deutsche para conduzir o processo, segundo as duas fontes, mas as duas instituições negaram-se a falar sobre o assunto.

O processo de venda ainda está em seus estágios iniciais e ainda não foi estabelecido um preço formal pela GTV, disse uma das pessoas. Já a segunda fonte disse que a venda da GTV pode ficar entre US$ 7 bilhões e US$ 8 bilhões. Em julho, a Reuters informou que a GTV poderia ser avaliada em até 8,5 bilhões de euros, citando fontes ligadas ao negócio.

O grupo francês decidiu vender sua unidade brasileira "porque agora está voltando a seu foco original", disse a fonte. A Vivendi comprou a GTV em 2009 após uma disputa com a espanhola Telefonica. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
VivendiGTVvenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.