Vivendi suspende venda da unidade brasileira GVT

A Vivendi divulgou nesta quinta-feira que suspendeu a venda da companhia brasileira de telefonia móvel e internet de banda larga GVT. Embora a unidade brasileira com crescimento rápido tenha atraído o interesse de vários compradores, as ofertas ficaram abaixo do que a Vivendi queria, informou uma pessoa familiar ao assunto. A Vivendi pretendia vender o ativo por 7 bilhões de euros, em um negócio somente em dinheiro, acrescentou a fonte.

Agencia Estado

14 de março de 2013 | 21h37

"Decidimos não vender por um preço fora do padrão. Estamos absolutamente convencidos que temos um ótimo ativo", afirmou o porta-voz Simon Gilham. "Estamos muito felizes em continuar a desenvolvê-lo na família Vivendi", acrescentou.

A suspensão da venda ocorre após a operadora de televisão via satélite norte-americana DirecTV - vista como uma das possíveis compradoras - anunciar mais cedo que deixará o processo de concorrência.

A DirecTV esperava impulsionar as operações na América Latina por meio da GVT, mas "decidiu não ir adiante na compra e se retirou do processo", informou um porta-voz da empresa. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
VivendiGVT

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.