Felipe Feca/ Vivix
Felipe Feca/ Vivix

Fábrica de vidros Vivix investe R$ 1,3 bi para ampliar produção em Pernambuco

Obras começam em dezembro e devem gerar 4 mil empregos; empresa também vai ampliar portfólio de produtos

Redação, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2022 | 15h51

A empresa de vidro Vivix, do Grupo Cornélio Brennand, anunciou que vai ampliar a sua linha de produção. Com um investimento de R$ 1,3 bilhão, a empresa vai construir uma nova unidade ao lado da sua atual linha, na cidade pernambucana de Goiana. A indústria produz vidros planos destinados a atender aos mercados de construção civil, decoração e moveleiro.

Segundo a Vivix, a capacidade de produção vai subir de 1 mil toneladas diária para 1,9 mil toneladas diárias, assim alcançando o segundo lugar de maior empresa do setor de vidros do mercado nacional. 

Os produtos fabricados em ambas as plantas serão comercializados no País, e uma parcela será destinada à exportação. 

"O vidro plano é um material de tendência, utilizado já há muito tempo em países desenvolvidos em uma escala maior que no Brasil. Aqui no país, percebemos a presença crescente do vidro, porém com um consumo per capita baixo em comparação com alguns países da Europa e com os EUA, o que demonstra o enorme potencial existente. Acreditamos que o mercado está evoluindo a cada ano”, disse Henrique Lisboa, presidente da Vivix Vidros Planos, por meio de nota.

O investimento também vai ajudar a ampliar o portfólio de produtos da Vivix que passa a fabricar, também, vidros extra claros, além das linhas já produzidas atualmente pela primeira planta (vidros planos incolores, coloridos, espelhos, laminados, pintados e de proteção solar). 

As obras terão início em dezembro de 2022 e devem gerar 4 mil empregos. A nova planta deve iniciar as operações no segundo semestre de 2025 e deve empregar 600 mil pessoas diretamente e 2,4 mil indiretamente.

Tudo o que sabemos sobre:
vidroVivix

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.