Vivo usará faixa de 2,5 GHz para expandir 4G

O foco da Vivo no momento é desenvolver infraestrutura para ampliar a cobertura de telefonia de quarta geração (4G) usando a faixa de 2,5 gigahertz (GHz), licitada pelo governo no ano passado. A afirmação foi feita nesta terça-feira, 22, pelo presidente da Telefónica e da Vivo, Antonio Carlos Valente, que foi cauteloso ao tratar da questão da realocação dos canais da TV aberta que usam a faixa de 700 megahertz (Mhz).

MÔNICA CIARELLI E VINICIUS NEDER, Agencia Estado

22 de outubro de 2013 | 14h29

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, garantiu que o segundo edital de licitação de 4G será feito em maio ou junho, oferecendo frequências na faixa de 700 MHz. "O governo brasileiro tomou a decisão de colocar a frequência de 2,5 GHz para a quarta geração. Todas as empresas estão focadas nesse projeto. É isso que nós temos nas mãos", afirmou Valente.

Para o executivo, é difícil fazer comentários sobre o uso da faixa de 700 MHz porque em muitas cidades onde essa frequência poderia ser usada não há possibilidade de fazer isso no "médio prazo". A limpeza do espectro usado pela TV aberta nesses locais levará tempo. Nesse ínterim, além de desenvolver a 4G na faixa de 2,5 GHz, o mercado pode buscar novas soluções tecnológicas. Ainda assim, segundo Valente, certamente as operadoras de telefonia precisarão de mais espectro.

"Espectro é fundamental para todos os operadores móveis em qualquer parte do mundo. As aplicações estão crescendo, assim como o número de usuários", afirmou Valente, lembrando que "o reaproveitamento de frequências tem acontecido em outras partes do mundo e, certamente, vai acontecer no Brasil".

O executivo classificou a radiodifusão como uma "aplicação importante". "Estamos tendo cautela para saber exatamente qual espectro vai estar à disposição das operadoras, em termos de uso efetivo, para que possamos nos manifestar", afirmou Valente.

Valente participou do lançamento comercial de smartphones LG e Alcatel com tecnologia Qualcomm e o novo sistema operacional Firefox OS, desenvolvido pela Mozilla em parceria global com os fabricantes e a Telefónica. Os aparelhos começaram a ser vendidos hoje pela Vivo, marca de telefonia móvel da companhia espanhola no Brasil. O aparelho mais barato custará R$ 199,00 no plano pré-pago.

Tudo o que sabemos sobre:
telefonia4GVivo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.