Vodafone tem receita 7,7% menor e ações caem 2,27%

A demanda fraca dos consumidores por produtos e serviços de telefonia móvel na Europa continuou pesando sobre o desempenho financeiro do britânico Vodafone Group, que anunciou uma receita abaixo da previsão no primeiro trimestre de seu ano fiscal. A maior operadora de telecomunicações do mundo em receita teve queda de 7,7% no resultado no segundo trimestre deste ano, para 10,77 bilhões de libras (US$ 16,90 bilhões), menos do que a estimativa dos economistas, de 10,88 bilhões de libras.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

20 de julho de 2012 | 08h03

A queda foi consequência da crise europeia, especialmente na Itália e na Espanha, e do impacto de cortes regulatórios nas taxas que as operadoras cobram umas das outras pelas chamadas transmitidas entre suas redes.

A empresa não forneceu números sobre o lucro no segundo trimestre, mas disse que irá publicar os resultados do primeiro semestre em 13 de novembro. Às 7h30 (horário de Brasília), as ações da Vodafone caíam 2,27% em Londres.

A exposição da Vodafone à Europa, que contribui com cerca de três quartos da receita da empresa, continua ofuscando o bom desempenho na Índia, África e Turquia. Na quinta-feira, a norte-americana Verizon, na qual a Vodafone tem 45% de participação, divulgou um balanço positivo do segundo trimestre. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Vodafonebalanço2º trimestre

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.