Volkswagen pede que presidente da Fiat deixe associação europeia

A fabricante alemã de automóveis Volkswagen rejeitou as acusações de estar travando uma guerra de preços injusta na Europa e pediu que o presidente-executivo da Fiat , Sergio Marchionne, renuncie como presidente do Conselho de Administração da Acea, a associação dos fabricantes de veículos europeus.

Reuters

26 de julho de 2012 | 19h40

Marchionne, que também é presidente-executivo da montadora norte-americana Chrysler, disse que a Volkswagen estava sendo muito agressiva em sua estratégia de preços quando as condições já estavam difíceis na indústria automotiva europeia.

"Marchionne é intolerável como presidente da ACEA", disse nesta quinta-feira o diretor de comunicações da Volkswagen, Stephan Gruehsem. "Em nossa visão, os comentários dele não foram qualificados mais uma vez. Nós estamos, então, pedindo que ele renuncie".

(Por Andreas Cremer)

Tudo o que sabemos sobre:
AUTOSFIATWOLSWAGENPREOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.