Clayton de Souza/AE
Clayton de Souza/AE

Volkswagen suspende produção de fábrica em São Bernardo do Campo por falta de semicondutores

Linha de montagem ficará paralisada por 20 dias e trabalhadores entraram em férias coletivas; Renault está parada em razão de greve e Caoa Chery decidiu fechar a unidade de Jacareí até 2025

Cleide Silva, O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2022 | 20h06
Atualizado 09 de maio de 2022 | 18h11

A falta de semicondutores levou a Volkswagen a, mais uma vez, suspender a produção na fábrica Anchieta, em São Bernardo do Campo (SP), segundo informa a fabricante.

A linha de montagem ficará paralisada por 20 dias a partir desta segunda-feira, 9, e 2,5 mil trabalhadores dos dois turnos de trabalho entraram em férias coletivas, acrescenta o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC.

Ao todo, a unidade emprega cerca de 4,5 mil trabalhadores na produção – de um total de 8 mil incluindo os administrativos – e parte deles continuará indo para a fábrica para montar carros que estão incompletos no pátio.

Também está paralisada desde sexta-feira a linha de produção da Renault em São José dos Pinhas, mas nessa caso em razão de uma greve deflagrada pelos trabalhadores reivindicando mudanças no sistema de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e manutenção de empregos. O complexo emprega cerc ade 5 mil funcionários.

Outra montadora que está parada é a Caoa Chery de Jacareí (SP). Em março os trabalhadores entraram em féris coletivas, mas na semana passada o grupo anunciou que iria demitir a maior parte dos seus 623 funcionários, com pagamento extra de três salários mensais - além das indenizações - porque só retomará atividades em 2025, período em que pretende preparar a fábrica para a produção de veículos híbridos e elétricos.

Amanhã, a direção do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região se reúne com representantes da empresa para decidir sobre  a proposta da entidade de colocar os funcionários em lay-off por cinco meses e garantir estabilidade nos empregos por mais três meses. 

Vendas em baixa

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), perto de 100 mil veículos de várias marcas já deixaram de ser produzidos neste ano por falta de vários componentes, a maioria semicondutores.

Em abril, as vendas de veículos novos caíram 15,9% em relação ao mesmo mês do ano passado. Ao todo a indústria automobilística vendeu no mês passado 147,2 mil veículos novos, número muito próximo ao de março. A escassez de semicondutores é um dos fatores que têm prejudicado as vendas, por causa da falta de disponibilidade de automóveis, além dos juros mais altos e do aumento dos preços dos veículos. 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.