Volume de títulos com estrangeiros deve ter alta gradual, diz Tesouro

Aumento, no entanto, não deve se refletir no aumento da participação dos investidores de fora do país no total do estoque

Renata Veríssimo e Adriana Fernandes, da Agência Estado ,

23 de maio de 2011 | 15h48

O coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido, afirmou nesta segunda-feira, 23, que "a tendência é que haja uma elevação gradual do volume" de títulos públicos nas mãos de estrangeiros, mas isso não deve se refletir na elevação da participação dos investidores estrangeiros no total do estoque. Segundo ele, até setembro do ano passado, a participação dos estrangeiros no estoque da dívida pública crescia mais que o estoque total. Mas, com o aumento do IOF para investimentos de estrangeiros em outubro de 2010, houve uma diminuição expressiva principalmente dos investidores de curto prazo.

"Os investidores estrangeiros de longo prazo mantêm um crescimento pequeno", afirmou Garrido. "Vinha tendo elevações expressivas (da participação dos estrangeiros na dívida pública), mês a mês, que se interromperam a partir de setembro", disse. Em abril, os títulos em mãos dos estrangeiros somaram R$ 186,60 bilhões, 11,29% do total do estoque. Em março, o valor era menor - R$ 183,31 bilhões, mas o porcentual era maior - 11,38% da fatia de títulos estavam com os investidores estrangeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.