Volvo Brasil espera superar recorde de vendas este ano

Depois de um 2009 difícil, quando registrou uma queda de 13,8% nas vendas de caminhões, a Volvo do Brasil acredita que possa superar este ano o recorde de 10.134 unidades comercializadas em 2008, chegando a algo em torno de 10,5 mil veículos, avalia o gerente de planejamento estratégico da montadora, Sérgio Gomes.

MICHELLY CHAVES TEIXEIRA, Agencia Estado

09 de fevereiro de 2010 | 15h14

A expectativa da Volvo é de produzir 15 mil caminhões neste ano, contra 9,7 mil no ano passado e 14 mil unidades em 2008. Para conquistar este objetivo, a fabricante contratou em janeiro 250 funcionários temporários, cujos contratos valem para um período de cinco a seis meses.

Como afirmou o presidente da Volvo do Brasil, Tommy Svensson, as contratações praticamente zeram as demissões efetuadas na área de caminhões no ápice da crise financeira global, no fim de 2008. Considerando todo o grupo no Brasil, o que inclui caminhões e a fábrica de equipamentos para construção, foram demitidos naquele período 430 funcionários, dos quais 250 trabalhavam em regime temporário.

O segundo turno da produção começa "forte" agora em fevereiro, explicou o gerente da linha F de caminhões, Bernardo Fedalto. Com o segundo turno, a subsidiária brasileira será capaz de produzir 70 caminhões por dia. "Vemos um mercado exportador melhor em 2010, mas o grande volume de vendas ficará com o mercado brasileiro", disse Fedalto, durante entrevista coletiva à imprensa da Volvo do Brasil.

Conforme o gerente de planejamento estratégico da fabricante, ainda que mercados como o chileno e o peruano estejam se recuperando, o crescimento da subsidiária em 2010 ficará calcado no mercado interno. "Trabalhamos com a expectativa de aumento dos investimentos na indústria e crescimento de 8% neste segmento", observou Gomes.

A previsão de que a safra atinja 143 milhões de toneladas em 2010, o que traduziria um avanço de 5,9% sobre 2009, segundo a Conab, também induz a Volvo a esperar um mercado melhor neste exercício. "Além disso, há que se levar em conta a produção de aço, que sinaliza alta de 28%, e a melhora dos índices de confiança do consumidor e da indústria", destacou o executivo, durante a entrevista à imprensa.

Investimentos

Hoje, a Volvo do Brasil anunciou investimentos equivalentes a US$ 250 milhões entre 2009 e 2011, sendo que US$ 30 milhões já foram desembolsados no ano passado, restando US$ 220 milhões para este e o próximo ano. O dinheiro será destinado à atualização da linha de produtos nas áreas de caminhões e ônibus, informou o presidente da montadora. O pacote anterior, válido para o período 2006-2008, compreendeu US$ 110 milhões.

Apesar da queda nas vendas no Brasil em 2009, para 8,739 mil unidades, o País tirou dos Estados Unidos a posição de primeiro mercado de caminhões da Volvo Trucks no mundo, com um declínio de 46,16% para 6.622 unidades comercializadas nos EUA. Na sequência estão França (3,02 mil unidades comercializadas em 2009), Grã-Bretanha (2,551 mil) e Suécia (1,803 mil caminhões vendidos). Svensson aproveitou a coletiva de imprensa para se despedir dos jornalistas, já que este ano volta para a Suécia, país de origem do grupo.

Tudo o que sabemos sobre:
veículos, caminhões, Volvo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.