Volvo tem lucro de US$ 438 milhões no 3º trimestre

Montadora sueca destaca o forte crescimento das operações no Brasil, Índia e China 

Danielle Chaves, da Agência Estado,

22 de outubro de 2010 | 10h01

A fabricante de caminhões sueca Volvo anunciou seu terceiro lucro líquido trimestral consecutivo nos três meses entre julho e setembro, de 2,81 bilhões de coroas suecas (US$ 438 milhões). A companhia afirmou que os mercados emergentes foram responsáveis por 19% de suas vendas no trimestre, em razão do forte crescimento no Brasil, Índia e China e de uma recuperação na Rússia.

No mesmo período do ano passado, a Volvo teve prejuízo de 2,92 bilhões de coroas. O resultado do terceiro trimestre deste ano ficou acima das previsões dos analistas, que eram de lucro de 2,42 bilhões de coroas. As vendas da companhia cresceram 32%, para 64 bilhões de coroas, de 48,48 bilhões de coroas um ano antes, também acima das expectativas de 62,40 bilhões de coroas.

O lucro operacional ficou em 4,91 bilhões de coroas, uma melhora em relação ao prejuízo de 3,29 bilhões de coroas registrado no terceiro trimestre de 2009 e acima das estimativas de lucro de 4,22 bilhões de coras. Apesar dos resultados positivos, as ações da Volvo caíam 0,68% na Bolsa de Estocolmo, para 95,00 coroas, às 9h20 (de Brasília). Um analista de Londres afirmou que o uso de caixa foi maior do que o esperado.

Olof Persson, executivo-chefe para equipamentos de construção da Volvo, não quis fazer uma previsão para crescimento em 2011, mas disse que a empresa tem um cenário de crescimento para o próximo ano, puxado por Brasil e China. Para este ano, a Volvo manteve a projeção de 10% de crescimento em equipamentos para construção na Europa e de entre 5% e 10% na América do Norte. Na Ásia e em outros mercados a previsão de crescimento em 2010 foi elevada para 50%, ante a estimativa anterior de 30% a 40% na Ásia e de 40% em outros mercados.

A Volvo viu a demanda por seus produtos caírem conforme os consumidores adiaram ou cancelaram encomendas, o que levou a seis trimestres de perdas entre 2008 e 2009. Mas no terceiro trimestre deste ano a companhia registrou encomendas líquidas de 50.869 caminhões, acima dos 48.418 pedidos no segundo trimestre. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.