Divulgação
Divulgação

Demanda fraca faz Votorantim paralisar parte da produção de aço no Rio de Janeiro

Votorantim paralisou as operações da área de aciaria de usina instalada em Barra Mansa; com a parada, a empresa suspendeu os contratos de trabalho de 140 funcionários

REUTERS

20 de outubro de 2015 | 15h56

A Votorantim Siderurgia paralisou as operações da área de aciaria de usina instalada em Barra Mansa, no Rio de Janeiro, diante da fraqueza na demanda por aços longos no país. Com a parada, a empresa suspendeu os contratos de trabalho de 140 funcionários da unidade, informou sindicato nesta terça-feira.

A área de aciaria é responsável pela produção de aço a partir do ferro-gusa. A unidade de Barra Mansa tem capacidade para produzir 800 mil toneladas de aços longos por ano.

Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos do Sul Fluminense, a companhia tinha como objetivo inicial demitir os 140 funcionários, mas decidiu converter as demissões em "layoff" após negociações com a entidade.

O diretor do sindicato responsável pela região de Barra Mansa, Almir Paulino, informou que o setor de laminação da usina da Votorantim na cidade segue operando, mas abaixo da capacidade, e que a empresa informou que a suspensão dos contratos de trabalho ocorrerá enquanto persistir a fraqueza do mercado.

A produção de aços longos do país em setembro caiu 27,5% sobre um ano antes, para 663 mil toneladas, acumulado queda de janeiro ao mês passado de 12,7%, a 7,19 milhões de toneladas, segundo dados do Instituto Aço Brasil (IABr), divulgados na véspera.

Procurada, a Votorantim Siderurgia não comentou o assunto de imediato. A siderúrgica de Barra Mansa foi fundada em 1937 e usa aço reciclado como matéria-prima.

Mais conteúdo sobre:
siderurgiaVotorantimBarra Mansa

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.